Lula evita comentar condenação de Dirceu e Genoino no julgamento do mensalão

'Eu não achei porque eu não vi. Deixa eu ver', disse o ex-presidente ao ser indagado sobre punições

Gustavo Porto , Agência Estado

12 de novembro de 2012 | 18h21

SÃO PAULO - O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva evitou, nesta segunda-feira, comentar a condenação do ex-ministro da Casa Civil José Dirceu (PT) e do ex-presidente do seu partido José Genoino (PT), no processo do mensalão. "Eu não achei porque eu não vi. Deixa eu ver", disse Lula ao ser indagado sobre o que achava das condenações de Dirceu e Genoino, após participar da abertura da Olimpíada do Conhecimento, em Barueri, São Paulo. Lula deixou o ginásio de esportes na Grande São Paulo sob forte esquema de segurança e disse ainda: "até segunda" aos jornalistas.

Durante o pronunciamento, o ex-presidente lembrou que foi aluno do Senai, entidade que organiza o evento, e pediu aos participantes que não desistam, mesmo que não sejam os grandes vencedores. "Vocês viram quantas eleições eu perdi? Eu perdi quatro eleições para ser o presidente. Essa era a minha olimpíada e eu não desisti nunca", afirmou.

Lula lembrou que por ter sido aluno da Instituição, conseguiu ser, entre os oito irmãos, o primeiro a comprar casa, o primeiro a ter carro e, posteriormente, conseguiu também ser o presidente da República. "Isso pode acontecer com cada um de vocês. Se esse baixinho aqui pode chegar, por que vocês não podem?", disse Lula. "Esse País fará a revolução social que precisamos", concluiu.

O ex-presidente afirmou ainda que o melhor período da vida dele foi a partir de 1961, quando ingressou no Senai. "O melhor período da minha vida não foi quando eu fui deputado constituinte, ou presidente da República, mas foi no Senai".

Tudo o que sabemos sobre:
mensalãojulgamentoLula

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.