Lula estuda fazer pronunciamento à Nação

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva deverá fazer um pronunciamento à Nação para anunciar medidas de estímulo à geração de emprego e distribuição de renda. Uma das medidas é a alteração na Lei do Primeiro Emprego, de forma a ampliar os benefícios para as empresas. Lula quer mostrar ao País que seu governo está determinado a minimizar o problema do desemprego com alternativas, que não estariam restritas ao aumento do salário mínimo. Essa é também uma forma de responder às críticas de paralisia do governo intensificadas após o episódio envolvendo o ex-assessor palaciano Waldomiro Diniz.A idéia do pronunciamento ? que poderá ser transmitido antes de 1º de maio, dia do Trabalho - está sendo discutida pelo presidente Lula e seus principais auxiliares. Apesar da resistência da equipe econômica, Lula deve anunciar um aumento acima da inflação para o salário mínimo, hoje em R$ 240. Para amenizar o impacto na Previdência, a alternativa que está sendo considerada pelo Palácio é aumentar o valor do salário-família que, combinado com o mínimo, daria ao trabalhador maior poder de compra. Uma das propostas em análise é elevar o salário-família de R$ 13,48 para até R$ 30.Diante dos resultados ainda pífios do programa de estímulo ao primeiro emprego, implantado em novembro do ano passado nas capitais, o presidente decidiu fazer ajustes, para atrair as empresas. Pela lei em vigor, o governo concede estímulo financeiro às empresas, dois meses depois da contratação de jovens de 16 a 24 anos, para o primeiro emprego. Na tentativa de reduzir os entraves e despertar interesse dos empresários, o governo quer antecipar o pagamento para facilitar o acesso ao programa. Outra alternativa para gerar empregos é o aumento do contingente de jovens que prestam serviço militar nas Forças Armadas. O presidente poderá anunciar, ainda, a criação de frentes de trabalho emergenciais para a recuperação de mais de 7 mil quilômetros de estradas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.