Lula erra o alvo ao criticar jornalistas, diz Mino Carta

O jornalista Mino Carta acha que o presidente Lula erra o alvo ao chamar de "covardes" os jornalistas por não estarem envolvidos na aprovação do Conselho Federal de Jornalismo. "Eu acho que há algo mais grave do que a palavra ?covarde?. A meu ver, Lula erra o alvo", afirmou o diretor de Redação da revista Carta Capital durante entrevista no Jornal da Cultura. "Se há um problema no País ele não é representado pelos jornalistas, o problema é representado pelos patrões da mídia, os quais têm poderes excessivos. Com raríssimas exceções, os jornalistas servem aos seus patrões, impulsionados pelo pânico de perder o emprego, eles fazem o que o patrão manda." Controle de poder Mino Carta sugeriu que, ao invés de fazer carga sobre os jornalistas, talvez fosse o momento de fazer uma lei para limitar os poderes dos proprietários de mídias. "Chegou o momento de pensar numa lei democrática que limite os poderes do patrão, que estabeleça o que você pode efetivamente ter e o que você não pode ter, a bem da democracia", propôs Mino. "Em muitos pontos e vista, nós ainda estamos ancorados à Idade Média. Nós temos diretores de redação por direito divino(...) O senhor Roberto Marinho foi um mestre na tentativa de obscurecer as consciências brasileiras. E me parece que foi muito bem sucedido na operação."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.