Lula envia mais uma carta ao papa

Em carta ao papa João Paulo II, entregue hoje pelo ministro-chefe da Secretaria Especial do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social, Tarso Genro, ao chanceler do Vaticano, Jean Louis Tauran, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva relata seu propósito de estabelecer um novo contrato social no País e de seu desejo de tornar o País mais justo socialmente. "Quero um país socialmente justo, integrado de forma soberana à comunidade internacional, capaz de crescer gerando emprego e atividades, bem como oportunidades para o exercício da capacidade empreendedora dos brasileiros", afirma Lula na carta. "O Brasil quer construir este futuro ancorado numa institucionalidade democrática sólida e aberta à renovação". Lula afirma que "só um novo contrato social, que favoreça o nascimento de uma cultura política de defesa das liberdades civis, dos direitos humanos e da construção de um País mais justo econômica e socialmente, permitirá aprofundar a democratização da sociedade". Junto com a carta, o presidente encaminhou, também, as "Cartas de Concertação" elaboradas pelo Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social. Ele explica ao Papa, que "essas Cartas traduzem o espírito e anseios da sociedade brasileira, representada no Conselho. Estes documentos têm a função de incluir na agenda do Conselho temas de relevância nacional que não necessariamente estejam na ordem do dia do Governo, mas que possam dar sentido estratégico para a ação governamental". O ministro Tarso Genro encontra-se na Itália para conhecer o congênere do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social daquele país, segundo informou há pouco a assessoria dele. Antes de retornar ao País, dia 9, ela ainda irá à Espanha e a Portugal.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.