Lula elogia Jaques Wagner e cita José Dirceu

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva fez elogios ao ex-ministro Jaques Wagner, que deixa a Secretaria de Relações Institucionais para se candidatar ao governo da Bahia, ao dar posse aos novos integrantes da sua equipe. Ele disse que Tarso Genro, o substituto de Wagner, "já pega o caminho "meio asfaltado". Lula citou - o que não fazia há muito tempo - o ex-ministro-chefe da Casa Civil José Dirceu, que teve seu mandato cassado por suposto envolvimento com o esquema do mensalão."Eu vou torcer para que ele (Tarso Genro) faça mais do que você (Jaques Wagner) fez", disse, no discurso feito de improviso. E, se dirigindo para Wagner, continuou: "Você já fez a trilha que foi aberta num primeiro momento pelo José Dirceu e pelo Aldo (Aldo Rebelo, atual presidente da Câmara, ex-ministro da Coordenação Política). "O Tarso está pegando o caminho meio asfaltado".Ainda no discurso, Lula agradeceu, também, ao vice-presidente José Alencar pelo tempo que ocupou o Ministério da Defesa, ressaltando que escolheu Alencar para assumir a pasta responsável pelas três forças militares porque ele era o segundo homem mais importante da República, e o ministério não é uma pasta inferior. O presidente queixou-se da pequena cobertura feita pela imprensa do trabalhos de investigação de irregularidades feito pela Controladoria-Geral da União. Ao dar posse aos novos ministros que assumem o lugar daqueles que vão disputar cargos eletivos em outubro, Lula destacou a atuação dos técnicos da CGU no combate à corrupção em 981 municípios brasileiros."A sociedade brasileira ainda não foi informada pela imprensa do trabalho feito na Controladoria-Geral", reclamou o presidente. Ao elogiar Waldir Pires que está deixando a chefia da CGU para assumir o Ministério da Defesa, Lula ressaltou, no entanto, que o trabalho da Controladoria não tem como principal objetivo a punição, "não é sair por aí fazendo denúncias contra qualquer prefeitura". "A nossa idéia era corrigir e permitir que não mais fossem cometidos erros", esclareceu.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.