Lula e Serra buscam solução para conflito PT-PSDB sobre orçamentos

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e o prefeito eleito de São Paulo, José Serra (PSDB), têm encontro marcado para as 15h30 de hoje no Palácio do Planalto. Será a primeira conversa pessoal dos dois desde o fim de outubro, quando Serra venceu a prefeita paulistana Marta Suplicy, do PT, que tentava se reeleger. Serra e Lula devem discutir uma solução para o conflito entre o PT e o PSDB em torno do Orçamento do Município de São Paulo e do Orçamento Geral da União para 2005. Serra quer que a parte do Orçamento da Prefeitura passível de remanejamento seja de 15%, mas o PT e os partidos do chamado Centrão limitaram essa possibilidade a 5%. A reação dos senadores e deputados do PSDB foi a de ameaçar obstruir, em Brasília, a votação da proposta orçamentária da União. Se essa proposta não for votada este ano, Lula não terá, em 2005, recursos para investimentos e custeio.Depois de derrotar a petista Marta Suplicy na campanha pela Prefeitura paulistana, Serra recebeu cumprimentos de Lula, mas não pessoalmente, e sim por intermédio do ministro da Articulação Política, Aldo Rebelo. Na ocasião, Rebelo negociou o agendamento de conversas de vários prefeitos eleitos com Lula, inclusive do oposicionista, César Maia (PFL), do Rio de Janeiro. Nessa conversa, Rebelo e Serra acertaram que marcariam uma data para um encontro de Lula com o tucano. O encontro acabou sendo marcado para hoje, apenas dez dias antes da posse de Serra na Prefeitura.Serra chegou a resistir à idéia da audiência com o presidente, sinalizando que gostaria de receber um convite formal do próprio Lula. A assessoria do presidente explicou, na ocasião, que isso não seria possível, porque, se Lula convidasse Serra pessoalmente, teria que fazer o mesmo em relação a todos os prefeitos eleitos, mas deixou claro que o presidente receberia Serra quando este quisesse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.