Lula e Sarkozy apresentarão proposta ambiental conjunta

Presidentes de Brasil e França afirmaram que posição será demonstrada em cúpula do aquecimento global

Reuters

07 de setembro de 2009 | 18h14

Os presidentes Lula, do Brasil e Sarkozy, da França afirmaram nesta segunda-feira , 7, que apresentarão uma posição conjunta na reunião de cúpula sobre o aquecimento global a ser realizada em dezembro, em Copenhague.

 

"Não temos o direito de fracassar em Copenhague", disse o presidente francês.

 

Eles concordaram ainda no fortalecimento do G20 e na reforma da Organização das Nações Unidas (ONU), do Banco Mundial e do Fundo Monetário Internacional, alterações que dariam mais poder aos países emergentes e uma cadeira efetiva ao Brasil no Conselho de Segurança da ONU.

 

Em outro gesto político, Sarkozy apoiou a candidatura do Rio de Janeiro como sede das Olimpíadas de 2016.

 

Ele e Lula afirmaram ainda que querem ampliar os projetos conjuntos voltados ao desenvolvimento da África.

 

A entrevista coletiva dos dois presidentes foi concedida depois do tradicional desfile realizado em comemoração ao Dia da Independência, do qual Sarkozy foi o convidado especial do presidente Lula.

 

Manifestações

 

Prestigiada por milhares de pessoas, a parada militar foi um espaço de manifestações políticas. Um grupo de manifestantes pediu a renúncia do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), que recentemente enfrentou uma série de denúncias mas permaneceu no cargo devido ao apoio recebido do governo.

 

Outra parte da plateia saudou a ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, como a próxima presidente do Brasil.

 

Sorridente, a escolhida do presidente Lula para disputar a eleição presidencial de 2010 pelo PT acenou para as arquibancadas antes de deixar a Esplanada dos Ministérios, onde a parada foi promovida.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.