Lula e ministro lamentam morte de Secretária do Bolsa-Família

Patrus Ananias a descreveu como uma 'gestora competente, que lia muito, estudava e pensava para frente'

Odail Figueiredo, Agência Estado e Agência Brasil

02 de novembro de 2008 | 12h54

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva divulou nota hoje em que lamenta a morte da secretária de Renda de Cidadania do Ministério do Desenvolvimento Social, Rosani Cunha, ocorrida no sábado, em um acidente de carro na Argentina.   Veja também: Secretária do Bolsa-Família morre em acidente na Argentina   "A morte da companheira Rosani Cunha deixou-me consternado. Lastimo as circunstâncias trágicas em que ocorreu e a perda de uma servidora pública competente e dedicada, que há quatro anos fazia um trabalho admirável na gestão do Bolsa Família, importantíssimo para os brasileiros mais necessitados. Minhas sinceras homenagens a seus familiares, amigos e ao ministro Patrus Ananias", diz a a nota, divulgada pela assessoria de imprensa do Palácio do Planalto.   Gestora Pública do Governo Federal, Rosani assumiu a secretaria do MDS em dezembro de 2004, após trabalhos no Ministério da Saúde e na Secretaria de Coordenação Política da Presidência da República.   Bacharel em fisioterapia pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Rosani foi assessora da Frente Nacional dos Prefeitos, quando o então prefeito Célio de Castro presidiu a associação. Antes de ingressar no MDS ocupava o cargo de assessora especial na Subchefia de Assuntos Federativos da Secretaria de Coordenação Política da Presidência da República.   No acidente, estavam no carro com Rosani, o seu companheiro, Nilson Figueiredo, e um amigo do casal, que sobreviveram ao acidente e estão fora de risco.   O ministro Patrus Ananias lamentou a morte da secretária. "Rosani estabeleceu fortes laços de amizades no ministério. Se envolveu completamente conosco e foi uma grande amiga. Gestora competente, lia muito, estudava, entendia de políticas públicas e pensava para frente. Pensava no Bolsa Família no contexto de integração da nossa rede de proteção e promoção social, sempre provocando discussões pertinentes na linha de aperfeiçoamento das nossas políticas", disse. Ele a descreveu como uma pessoa com "competência de gestão, sensibilidade social, com compromisso claro com os pobres, e também uma pensadora, formuladora no campo das políticas sociais".   A cerimônia de cremação do corpo de Rosani Cunha está prevista para esta segunda (3), às 17h no cemitério Parque Renascer, em Contagem, região metropolitana de Belo Horizonte.   (ampliada às 14h36)

Tudo o que sabemos sobre:
lularosani

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.