Lula é lembrado em inauguração de teleférico no Alemão

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi o grande homenageado hoje durante a inauguração do teleférico do Complexo do Alemão, na zona norte do Rio de Janeiro. Sua ausência no evento foi lamentada nos discursos da presidente Dilma Rousseff e do governador fluminense, Sérgio Cabral. Os dois creditaram ao ex-presidente a maior parte dos méritos pela realização das obras do teleférico, apontado por Dilma como símbolo do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC).

ALFREDO JUNQUEIRA E LUCIANA LEAL, Agência Estado

07 de julho de 2011 | 15h06

"Todos sabemos que aqui falta uma pessoa, falta o Lula", declarou Dilma, arrancando aplausos do pequeno público que acompanhava a solenidade. "Ele colocou não só recursos financeiros, mas carinho, amor, respeito e esperança de que este País possa ser diferente".

Cabral informou que ligou para Lula hoje de manhã enquanto esperava Dilma na base aérea do Galeão. O ex-presidente disse ao governador que assistiria à transmissão do evento pela rede pública de TV NBR. "Um abraço ao presidente Lula que está assistindo à transmissão dessa inauguração. O senhor está no coração de todos nós". Dirigindo-se à presidente Dilma, o governador do Rio declaro:. "A senhora, como o presidente Lula, acreditou em nós, acreditou neste projeto (do teleférico)".

O sistema custou R$ 210 milhões, dos R$ 939,4 milhões investidos em obras no Complexo do Alemão. Conta com seis estações, terá 152 gôndolas e uma extensão de 3,5 quilômetros. As linhas terão capacidade máxima para transportar 30 mil passageiros por dia. Apesar da solenidade de hoje, o teleférico só será aberto ao público a partir de amanhã, com horários restritos. A operação plena está prevista para novembro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.