Lula e Kirchner reafirmam compromissos com Mercosul

Os presidentes do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva, e da Argentina, Néstor Kirchner, reforçaram, em pronunciamento no jardim do Palácio da Alvorada, todos os compromissos em relação ao futuro do Mercosul sobre os quais já haviam entrado em acordo. Os dois conversaram o tema em maio, quando Kirchner visitou o Brasil ainda como candidato às eleições argentinas. Os pronunciamentos de Lula e Kirchner ocorreram depois de uma reunião de trabalho seguida de um almoço no qual o prato principal foi a comida nordestina: vatapá e caruru. "Trabalharei 24 horas por dia para que esta integração se torne real", afirmou Lula. Kirchner, por sua vez, reiteirou cada um desses pontos , mas acrescentou que a maior integração no Mercosul não exclui uma convivência plena com a União Européia e os Estados Unidos. "Vamos quebrar a falta de credibilidade e vencer aqueles que são descrentes no Mercosul. Vamos agora realizar muito e deixar de ser apenas a região que muito fala e que pouco faz", disse.Os presidentes reafirmaram também a determinação de ampliar o Mercosul por meio de acordos com países da Comunidade Andina de Nações, entre os quais, o Peru e Venezuela. Ressaltaram a idéia de reforçar o arcabouço político e institucional por meio da crtiação "em breve", segundo Lula, de um parlamento comum e de um instituto monetário.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.