Lula é contra lei para permitir 3º mandato, diz Tarso

O ministro das Relações Institucionais, Tarso Genro, disse que "não há nenhuma conversa" e que o governo é "contra que se tenha qualquer conversa" sobre mudanças na legislação para permitir que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva tente se reeleger para um terceiro mandato. "A posição do presidente é a posição de que, se tivermos condições, devemos fazer uma reforma constitucional para estabelecer um mandato de cinco anos, sem reeleição", reiterou, ao ser abordado por repórteres quando chegava para uma reunião com empresários na Assembléia Legislativa do Rio Grande do Sul, no início da noite desta quinta-feira.Segundo Tarso, "a preocupação do presidente é concluir seu segundo mandato reconhecido pela sociedade brasileira e pela História como o presidente que, além de reorganizar o Estado brasileiro, consolidou o projeto democrático a partir da Constituição de 1988 e criou mais um processo de crescimento com distribuição de renda com o PAC (Programa de Aceleração do Crescimento)".Na mesma entrevista, o ministro destacou que o governo não tem qualquer proposta de mudança do PAC. "O programa é claro, orçado, com recursos apontados, obras que serão realizadas dentro dos prazos, com projetos prontos", comentou. Tarso admitiu, no entanto, que todos os itens que dependem de entendimento com o Congresso Nacional podem sofrer alterações porque serão submetidos a negociações democráticas.O ministro adiantou que a coalizão política que apóia o governo vai se reunir na próxima terça-feira para discutir o PAC e revelou otimismo com a tramitação do programa no parlamento. "Não tenho nenhum temor de que as Medidas Provisórias e Projetos de Lei que dão sustentação ao PAC não sejam aprovadas no Congresso", reiterou.

Agencia Estado,

25 de janeiro de 2007 | 19h58

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.