Ed Ferreira/AE
Ed Ferreira/AE

Lula é citado como exemplo por novo presidente de El Salvador

'Fomos buscar os exemplos vigorosos de Obama e Lula', afirma Maurício Funes em discurso de posse no país

Tânia Monteiro, da Agência Estado,

01 de junho de 2009 | 18h51

Apesar de abalado com a tragédia do desaparecimento do avião da Air France, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva compareceu nesta segunda-feira, 1º, à posse de seu amigo Maurício Funes, na presidência de El Salvador. Repleta de petistas, como o ex-ministro José Dirceu e a ex-prefeita de São Paulo Marta Suplicy, o presidente Lula, que está com 81% de aprovação pessoal no Brasil, foi aplaudido ao ter seu nome chamado e entrado no salão onde seria realizada a posse. Lula foi citado várias vezes por Funes em seu discurso e elogiado. O presidente norte-americano, Barack Obama também foi lembrado por Maurício Funes como exemplo a ser seguido.

 

Um forte esquema de segurança tomou as ruas de San Salvador para a posse do primeiro presidente socialista do País. Lula era um dos 16 chefes de Estado presentes. A secretária dos Estados Unidos, Hilary Clinton, representou Barack Obama. Lula chegou na noite de domingo e foi recebido na Base Aérea de El Salvador pela primeira dama, a brasileira, Vanda Pignato. Maurício Funes quer trazer para seu país, projetos sociais já adotados no Brasil, como bolsa família e de saneamento e habitação.

 

No seu discurso de posse, muito aplaudido, Funes falou das dificuldades enfrentadas durante a campanha. "Quando meus adversários, distorcendo fatos e manchando a honra de pessoas, tentaram, falsamente, nos desqualificar, a mim e ao meu querido partido, a FMLN, fomos buscar os exemplos vigorosos de Obama e Lula como prova de que líderes renovadores, em lugar de ser uma ameaça, significam um caminho novo e seguro para seus povos", afirmou Funes. Segundo ele "Obama provou que é possível reinventar a esperança. E Lula demonstrou que se pode fazer um governo popular, democrático, com economia forte e distribuição justa de riqueza".

 

Além de Lula, estiveram presentes os presidentes do Paraguai, Fernando Lugo, do Equador, Rafael Correa, e da Colômbia, Álvaro Uribe. Apesar de ter seu nome anunciado entre os que desembarcavam em San Salvador, o presidente venezuelano Hugo Chaves não esteve na posse de Funes. O presidente boliviano, Evo Morales, que também estava sendo aguardado, não compareceu.

 

Depois da posse oficial, estava prevista a realização de uma grande festa popular em Sam Salvador, no estádio Cuscatlán, a exemplo do que houve na Esplanada dos Ministérios, durante a posse de Lula, no primeiro mandato. Maurício Funes fez questão de destacar, ainda, a grande marca social que quer imprimir em seu governo, a exemplo do que fez o presidente Lula.

 

O principal deles chama-se Rede solidária contra a pobreza urbana. El Salvador tem seis milhões de habitantes e outros três milhões de salvadorenhos moram foram do País, a maior parte deles, nos Estados Unidos, de onde remetem recursos para sobrevivência de seus familiares no país. O governo salvadorenho promete anunciar ainda uma vasta rede de subsídios além de prometer manter o preço do gás com benefícios apenas para as famílias pobres. Com isso, o preço do gás deverá ser ajustado pelo mercado carentes e deverá subir dos atuais cinco dólares para cerca de 10 dólares o botijão. A economia em El Salvador está dolarizada desde 2001.

 

O avião do presidente decolou por volta das 18h30 para a Guatemala. Ainda nesta segunda, Lula terá um encontro privado com o presidente da Guatemala, Alvaro Colom, no gabinete presidencial do Palácio do Governo. A agenda prevê ainda assinatura de atos e um jantar.

 

Nesta terça-feira, o presidente Lula conhecerá o projeto social Escola Aberta e, depois de almoço, segue para Costa Rica, a terceira e última etapa desta viagem internacional.

Tudo o que sabemos sobre:
LulaEl SalvadorMaurício Funes

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.