Lula e Cabral insinuam que vaias foram 'combinadas'

Presidente não aparecerá na cerimônia de encerramento, segundo assessores ouvidos pela Reuters

Carmen Munari e Natuza Nery, da Reuters,

16 de julho de 2007 | 19h26

As vaias recebidas na abertura oficial dos Jogos Pan-Americanos atingiram o moral do presidente Luiz Inácio Lula Silva, que insinuou que o protesto foi organizado, e vão afastá-lo da cerimônia de encerramento no dia 29, asseguram assessores diretos. Outras reações às vaias vieram nesta segunda-feira do governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral (PMDB), para quem o episódio foi uma armadilha, e do prefeito Cesar Maia, do oposicionista DEM (ex-PFL), que saiu na contramão ao dizer que Lula está acostumado com "claque de aluguel".  FHC diz que Lula precisa ter mais 'humildade' Lula confessa ter ficado triste com vaias Para oposição, vaia a Lula foi 'aviso' Lula fala sobre vaia no Maracanã  No Palácio do Planalto, a ordem agora é não alimentar o assunto, uma vez que avaliações de bastidores indicam que o episódio expôs o presidente a um constrangimento extremo num evento de natureza e repercussão internacionais. Segundo interlocutores, poucos momentos nesses quatro anos e meio de governo abalaram tanto o estado de espírito do presidente como este. Mais cedo, Lula utilizou seu programa semanal de rádio, Café com o Presidente, para externar sua "tristeza" com o acontecido na sexta-feira no Maracanã. "É como se eu fosse convidado para o aniversário de um amigo meu, chegasse lá e encontrasse um grupo de pessoas que não queria a minha presença", comentou. Em seguida, afirmou que "depois que terminou o evento, várias pessoas vieram dizer que tinha sido organizado, que gente tinha recebido convite".  Declaração semelhante já havia sido dada pelo ministro do Esporte, Orlando Silva, após a abertura dos Jogos. Cabral defendeu Lula e reforçou a parceria entre o governo estadual e o federal para a realização do Pan. "Não são armadilhas montadas que vão superar o amor do presidente pelo Rio de Janeiro", disse o governador em discurso durante cerimônia no Instituto Tecnológico.Nem Lula nem Cabral apontaram de qual ala política teria vindo o protesto. A tese, no entanto, é de que foram orquestradas por oposicionistas, numa referência indireta a Cesar Maia. Para diversas fontes do Planalto, o estranho não foi a vaia ao Lula, mas as palmas ao prefeito.  Cesar Maia usou seu blog diário para dar conselhos ao presidente. O prefeito disse que Lula só comparece a cerimônias com a presença de público favorável. "Isso dá ao líder (presidente, primeiro-ministro) a falsa impressão de popularidade", o que, segundo ele, é veiculado pelos meios de comunicação e insufla artificialmente os índices de popularidade do presidente.Pesquisa Ibope divulgada neste mês indica que a avaliação positiva do governo é de 50% e a confiança no presidente atinge 61%. Apesar de não voltar ao Pan, na próxima sexta-feira Lula irá ao Rio de Janeiro, mas apenas para participar da cerimônia de 110 anos da Academia Brasileira de Letras. O programado é de que passe somente duas horas e meia na cidade. IndignaçãoNo Palácio do Planalto, o protesto ainda não foi digerido. Mesmo servidores de carreira pouco ligados ao presidente tratam do tema de forma indignada. "Roupa suja se lava em casa. Aquilo não era um evento doméstico", disse à Reuters um importante funcionário da casa. "A figura presidencial não pode ser maculada. Em meio às vaias, a maior autoridade do país ficou parada, diante do microfone, com a pasta verde aberta, frente a uma porção de convidados de fora", completou a fonte.O cerimonial da Presidência entrou na berlinda. Na avaliação de interlocutores, o setor deveria ter atuado para evitar ou minimizar situações dessa natureza, até porque as vaias já haviam sido registradas no ensaio da abertura oficial, na véspera, segundo especulações que circulam no Planalto. A crítica vai mais além: o cerimonial poderia ter evitado a confusão do discurso oficial de abertura. O presidente não declarou a abertura dos jogos, como reza a tradição. Uma falha na comunicação entre o cerimonial do Palácio e do evento acabou rendendo a Lula mais uma gafe. Com o título "Vídeo flagra quadrilha do PSDB/DEM ensaiando vaia no Pan", o site YouTube traz imagens do estádio do Maracanã com um ensaio para a abertura dos jogos do Pan. Quando a locutora diz o nome de Lula entra um som que parece ser de vaias.

Tudo o que sabemos sobre:
PANLulaCabralvaias

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.