Lula diz que vai se concentrar na geração de empregos

O presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva disse que pretende canalizar todo o potencial de investimentos do governo federal, da Caixa Econômica Federal e do Banco do Brasil para fomentar a geração de empregos. A declaração foi dada no final do sábado, em entrevista que inaugurou o programa TV Cut.De acordo com o presidente, para atingir os objetivos, haverá repasse de recursos para o saneamento básico e habitação e a aprovação de projetos para a construção de novas indústrias. "Os empregos só virão com o crescimento econômico e com a distribuição de renda, fora isso não há milagre", afirmou.Lula voltou a afirmar que a geração de empregos é uma "obsessão" do governo. "É uma obsessão de um homem que ficou desempregado por um ano e três meses, durante a grande crise de 1965. Eu sei o que é ficar desempregado, devendo aluguel, devendo conta de luz, devendo conta de água e, portanto, eu sei como o trabalhador sofre", lembrou.Ele também recordou que o Brasil tem vários problemas que se acumularam durante séculos e foi taxativo quanto à impossibilidade de resolver todas as dificuldades em quatro anos de mandato. "Nós temos vários problemas no Brasil para resolver, e eu tenho consciência que eu não posso resolver todos, mas vou resolver aqueles que eu posso", salientou. A respeito da morte de três fiscais e de um motorista da Delegacia Regional do Trabalho de Minas Gerais, no último dia 28, em Unaí, noroeste do estado, o presidente voltou a dizer que "o governo fará o que for possível e o impossível para colocar os assassinos na cadeia".Descanso em casaO presidente passa o dia em seu apartamento, em São Bernardo do Campo. Lula não tem compromisso público marcado para hoje e deve continuar descansando com a família.Na segunda-feira, às 11 horas, Lula participa de solenidade de apresentação do jato comercial Embraer 190, em São José dos Campos, no Vale do Paraíba. Na terça-feira ele participará também da abertura da Expo Fome Zero, já em São Paulo, de onde retornará à tarde para Brasília.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.