Lula diz que vai cumprir promessas para setor agrícola

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva pediu paciência aos agricultores, afirmando que cumprirá todas as promessas feitas em campanha ao setor agrícola. "Temos apenas dois meses e 20 e poucos dias de governo", afirmou, em discurso no assentamento Itamarati, distante cerca de 43 quilômetros de Ponta Porã, onde participou do início da colheita da safra de milho. "Mas vamos fazer muito pela agricultura familiar. É só ter um pouco de paciência, esperar e acreditar." Ainda em seu pronunciamento, Lula ressaltou que já pediu ao ministro do Desenvolvimento Agrário, Miguel Rosseto, que não tente disputar com governos anteriores em termos de número de assentados já que, segundo ele, é necessário dar qualidade aos assentamentos. "Se formos disputar, já perdemos a batalha", disse. "Queremos não quantidade mas qualidade."Lula chegou no assentamento um pouco antes das 11h, hora local (12h de Brasília), onde pilotou uma colheitadeira por cerca de 600 metros, colhendo em torno de 50 sacas de grão. Posteriormente, na escola do assentamento, ele discursou para cerca de 4 mil pessoas. Na oportunidade, informou também que está discutindo a aprovação da Medida Provisória nº 77, que trata da renegociação das dívidas de 450 mil famílias de pequenos e miniagricultores, mas não deu prazo para reedição da MP. Na visita ao assentamento, Lula esteve acompanhado pelo governador de Mato Grosso do Sul, José Orcírio dos Santos, o Zeca do PT, e os ministros Roberto Rodrigues (Agricultura), José Viegas (Defesa), José Graziano (Segurança Alimentar), Miguel Rosseto (Desenvolvimento Agrário), Ciro Gomes (Integração Nacional) e Anderson Adauto (Transportes), além do presidente do Incra, Marcelo Resende.Veja o índice de notícias sobre o Governo Lula - Os primeiros 100 dias

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.