Lula diz que tem 'saúde muito boa, graças a Deus'

Presidente atribuiu problema de saúde a 'excesso de trabalho' e agenda 'muito pesada'

estadao.com.br,

01 de fevereiro de 2010 | 09h50

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse nesta segunda-feira, 01, em seu programa de rádio "Café com o Presidente", que a crise hipertensiva que causou sua internação na última quarta-feira, 27, foi um "aviso de que o corpo humano é uma máquina" que "um dia pode ter um problema", mas afirmou ter "uma saúde muito boa, graças a Deus".

 

Veja também:  

linkAssessor de Obama liga para saber notícias sobre saúde de Lula

linkLugo e Uribe ligam para desejar melhoras a Lula

linkInternação de Lula repercute na imprensa internacional  

especialLeia o que foi dito sobre o problema de saúde de Lula  

 

 

Lula admitiu que o mal-estar que levou seu médico a obrigá-lo a cancelar de última hora sua viagem a Davos na Suíça, onde participaria do Fórum Econômico Mundial, pode ter sido causado "por excesso de trabalho" e por uma agenda "muito pesada". O presidente disse ainda que pretende continuar a "percorrer o Brasil, visitar as obras, inaugurar", mas que deverá fazê-lo "com um pouco mais de cuidado".

 

Fórum Social

 

O Fórum Social Mundial de Porto Alegre "tá muito mais calejado, muito mais maduro", disse Lula sobre o evento, onde fez um discurso ao lado da ministra Dilma Rousseff na última terça-feira. "Eu acho que o mundo inteiro amadureceu e Fórum também amadureceu, as pessoas estão preocupadas em apresentarem propostas objetivas, para que a sociedade possa pleitear junto aos governantes", acrescentou.

 

Fórum Econômico

 

O presidente lamentou não ter ido à cúpula em Davos, onde receberia o prêmio Estadista Global, e disse que o Brasil pode mostrar no Fórum Econômico "que é possível os governos começarem a priorizar as políticas de ajudar as pessoas mais pobres". Lula ressaltou que no início de seu mandato "reinava 99% de desconfiança" sobre seu governo entre as potências mundiais e que terminar o mandato com um prêmio é "gratificante".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.