Lula diz que seu governo está no caminho certo

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse que seu governo está no "caminho certo" ao estabelecer o combate à pobreza como prioridade de governo. Segundo ele, a melhor demonstração de que sua política está correta está no fato de o programa URB-AL (programa de cooperação descentralizada entre cidades da União Européia e da América Latina), que existe desde 1995, ter estabelecido como prioridade o combate à pobreza urbana. "Isso demonstra que a gente está tomando a decisão correta. Ou todo o mundo pára e começa a pensar como diminuir a miséria e a pobreza do planeta terra, ou não adianta ficarmos discutindo o resto depois", disse, durante discurso de abertura de lançamento do "Rede 10 - Luta contra a Pobreza Urbana", no Hotel Blue Tree Towers, na zona Sul de São Paulo.O presidente lembrou que só em um prazo de dez a 20 anos é que será possível avaliar o impacto de decisões equivocadas de governantes. "Possivelmente, cuidar de um preso custa mais caro do que cuidar de uma criança na escola", argumentou. "Eu sonho com o dia em que cada governante desse País trate o ser humano como a gente trata o nosso filho, com carinho que a gente trata a nossa família, com o carinho que a gente trata as pessoas que a gente gosta. No dia em que isso acontecer, certamente os problemas do mundo serão menores e certamente nós não precisaremos ter guerra para resolver nem problemas e nem problemas sociais", complementou.Lula disse ainda que o enfrentamento da pobreza será facilitado somente no dia em que os governos transformarem esse problema em político em vez de social. "Enquanto os pobres desse País estiverem encurralados nas periferias longínquas, muitas vezes sem o poder de mobilização necessário para cobrar de nós, governantes, aquilo a que eles têm direito, a solução será muito mais difícil", avaliou.Após o seu discurso, o presidente deixou a cerimônia com destino não informado por sua assessoria de comunicação. Na parte da tarde, Lula mantém encontro com cerca de 200 sindicalistas, no Memorial da América Latina, para discutir as reformas tributária e da Previdência.Veja o índice de notícias sobre as reformas

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.