Lula diz que seu governo deixa 'legado'

Em Salvador (BA), onde lançou o edital de duplicação da BR-101 na Bahia e participou de assinaturas de contratos para a construção de um corredor para circulação de Veículos Leves sobre Pneus (VLPs) e de construção de imóveis do programa Minha Casa, Minha Vida, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse que seu governo "deixa um legado" para os próximos e voltou a criticar a imprensa e a oposição, por ter votado contra a CPMF.

TIAGO DÉCIMO, Agência Estado

26 de agosto de 2010 | 23h08

"Este país era terra de ninguém", afirmou o presidente, em evento realizado no Palácio Rio Branco, antiga sede do governo baiano. "Não fizemos tudo o que era preciso, mas estamos mostrando que tem jeito, que basta querer fazer as coisas. Hoje, o Brasil tem projetos, tem dinheiro e gente que sabe gerenciar, que sabe fiscalizar e que sabe executar. Também aprendemos a definir prioridades. Este é o legado que a gente vai deixar para o País."

De acordo com Lula, vários setores da administração pública e da economia privada - em especial os empresários e os sindicalistas - "aprenderam muito" durante o governo. "A imprensa ainda precisa aprender, porque nunca vi gostar tanto de notícia ruim", disse, sério.

Outros alvos de críticas do presidente foram a lei de licitações e a falta de um marco regulatório ambiental, que, de acordo com ele, atrapalham as obras no País. "Quem paga o prejuízo de uma obra parada por seis meses?", reclamou. "Ninguém assume essa responsabilidade. E depois dizem que o custo-Brasil é causado pelo salário do peão."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.