Lula diz que Renan ainda tem o seu respaldo

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva deixou claro que o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), tem seu respaldo. Lula relatou que telefonou para o senador para dar-lhe "os parabéns" pelas votações de ontem na Casa e sustentou que é preciso esperar a decisão final das investigações do Supremo Tribunal Federal (STF) e do Conselho de Ética do Senado. Entretanto, queixou-se da demora na solução do caso. Em relação a Calheiros, acusado por ter despesas pessoais pagas por lobistas, Lula ressaltou que ele apresentou todos os documentos exigidos por seus investigadores. "Todo brasileiro, os 190 milhões, terá meu apoio porque todos são inocentes até que se prove o contrário", declarou, ao ser questionado se manterá seu apoio à permanência de Renan no posto. "Todo mundo pode levantar suspeita sobre todo mundo. O que nós precisamos é permitir que as pessoas tenham tempo de provar se são culpadas ou não e, ao mesmo tempo, serem julgadas corretamente", completou. "Esse caso não pode ficar a vida inteira dependendo dos discursos políticos", disparou Lula sobre as investigações. "Em algum momento vai ter de decidir. Ou o Senado julga, ou a PF investiga, ou a Suprema Corte julga, porque tudo tem de ter um começo, meio e fim." Questionado sobre o que prevê como "fim", Lula desviou-se para o horizonte temporal. "Quem sou eu para determinar qual o tempo que o Congresso vai ter para decidir? O máximo que faço é decidir minha agenda e as coisas no Executivo", afirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.