Lula diz que relacionar PT com Farc é 'irresponsabilidade' e 'bobagem'

Para presidente, 'é uma irresponsabilidade tratar o PT como tendo qualquer ligação com as Farc, é não conhecer nada da história política do Brasil'

22 Julho 2010 | 22h35

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva reagiu nesta quinta-feira, 22, em Salvador, às acusações, feitas pela oposição, de que o PT tem relação com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc). "É uma irresponsabilidade tratar o PT como tendo qualquer ligação com as Farc, é não conhecer nada da história política do Brasil", afirmou. "Se as pessoas pensassem antes de falar as bobagens que falam, não falavam tanto."

TSE dá direito de resposta ao PT por declarações de Índio

Serra cobra PT por ligação com ‘forças que mandam drogas para o Brasil’

MPE pede multa à Dilma por propaganda eleitoral na Assembleia Legislativa do RS

Garcia: Índio 'é perturbado' e cairá no 'anonimato' 

Lula fez a declaração logo após receber, do governador baiano, Jaques Wagner, em Salvador, a Grã-Cruz da Ordem Dois de Julho - Libertadores da Bahia. O prêmio, instituído este ano pelo próprio governo da Bahia, tem como objetivo "agraciar cidadãos que se destacarem na garantia das liberdades públicas e na afirmação da soberania nacional". O presidente foi o primeiro agraciado pela condecoração.

 

Ao contrário de outras vezes, na cerimônia, Lula não citou nenhuma vez o nome da candidata petista à presidência, Dilma Rousseff, nem fez campanha aberta para a reeleição de Wagner. Alegou, porém, que pode haver erros na interpretação dos tribunais, que vêm aplicando multas por desrespeito à legislação eleitoral - o presidente já recebeu seis.

 

"O fato de alguém ser multado não significa que esse alguém está errado, a decisão pode ser revogada", disse Lula. "Mas todo mundo está recebendo multa, os adversários também, possivelmente porque houve mudanças na interpretação do próprio Poder Judiciário e nós estamos nos habituando. Ninguém faz uma coisa dessas porque quer transgredir as leis."

 

Visivelmente emocionado em diversos momentos do evento, o presidente admitiu que começa a sentir saudades da Presidência. "Estou chegando ao final do meu mandato e cada ato que participo eu acho que é o último", disse, depois de brincar que a condecoração que recebeu - uma faixa com as cores da Bahia na qual a medalha está pendurada - será usada por ele quando ele "sentir falta da faixa presidencial".

 

Amanhã (sexta-feira), Lula vai a Feira de Santana (BA), 110 quilômetros a oeste de Salvador, onde participa do 2º Congresso Nacional da Agricultura Familiar e entrega 400 unidades habitacionais do programa Minha Casa, Minha Vida, antes de viajar para Pernambuco.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.