Lula diz que redução da taxa de juros é sonho pessoal

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou durante entrevista na embaixada do Brasil em Washington, nesta tarde, que "o normal" para o País será uma taxa de juros real (descontada a inflação) de um dígito. Para ele, anormal é o País estar vivendo com uma taxa de dois dígitos. O presidente insistiu que a redução da taxa de juros é um sonho pessoal, assim como de sua equipe econômica e de todos os brasileiros. Afirmou que o governo busca incessantemente este objetivo como forma de orientar os investimentos para a produção e não para a especualção."Não sei por que houve tanto rumor na imprensa sobre a declaração do ministro (Luiz Fernando) Furlan (Desenvolvimento) de que a Selic pode chegar a um dígito no final do governo. Todos nós queremos juros reais, descontada a inflação, de um dígito. Se essa taxa passa a ter apenas um dígito, passa a ser normal", afirmou o presidente. "Se a inflação é de 7% ou 8% ao ano, não pode haver uma taxa de juros de 30% ou 40% no mercado financeiro", acrescentou Lula. Ele informou que na próxima semana anunciará a criação de cooperativas de crédito e que o governo já adotou medidas para facilitar o acesso de produtores agrícolas e de pequenos e médios empresários às linhas de financiamento. Para ler mais sobre a cúpula Brasil-EUA: » Palocci e Snow criam grupo de trabalho para crescimento » Transgênicos e parcerias são destaques na cúpula Brasil-EUA » Lula e Bush trocam elogios » Lula e Bush se reúnem na Casa Branca Os preparativos » Alca é prioridade para autoridades do Brasil e dos EUA » Brasil e EUA assinarão cinco acordos » EUA e Brasil deverá liderar a criação da Alca » Após ver Bush, Lula terá encontro com o chefe do FMI

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.