Lula diz que PPPs encerram questão ideológica

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse que o projeto da Parceria Público Privada, sancionado hoje, acabará com a questão ideológica que envolve o financiamento do saneamento básico. Ele reconheceu que o saneamento é uma obrigação do Estado, mas observou que por falta de recursos "o Estado não faz e o povo fica pisando em esgoto a céu aberto". O presidente disse ainda em seu discurso que o projeto não é uma solução para todos os problemas e destacou ser necessário continuar as reformas estruturais, consolidar a credibilidade que foi conquistada e envolver toda a sociedade no controle da inflação. Ele alertou especialmente os empresários de que o controle da inflação não pode ser só uma tarefa do Banco Central. E disse que, embora muitos reclamem que o BC eleva os juros, poucos lembram que essa elevação ocorre porque alguém aumentou os preços de seus produtos. "A gente só pode exigir compromisso dos outros se a gente cumprir os nossos compromissos", disse.O presidente encerrou seu discurso com uma mensagem otimista para o próximo ano e convidou os empresários a aproveitarem as oportunidades de discussão e de investimento que estão sendo apresentadas. Lula voltou a reclamar dos pessimistas e dos que torcem contra o sucesso do atual governo e garantiu que trabalha com a cabeça voltada para os próximos 30 anos e não para as eleições de 2006.Ele reafirmou o compromisso de agir com responsabilidade, dizendo sim quando possível e não quando não for possível. "A verdade às vezes é tão dura que as pessoas muitas vezes preferem acreditar em uma mentira", afirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.