Lula diz que perde o amigo mas guardará os ideais de Furtado

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse hoje, por meio de nota, que perdeu o amigo Celso Furtado, mas guardará seus ideais. Ele decretou luto oficial por três dias em razão da morte do economista, afirmando que Furtado foi um dos "homens mais importantes do século 20." "É com enorme pesar que venho a público manifestar minha tristeza com o falecimento de Celso Furtado. Mais que um economista, Furtado era um brasileiro que nos enchia de orgulho por seu compromisso com o Brasil, com a América Latina e com todos os países em desenvolvimento", disse o presidente na nota. Lula contou que lembra, com emoção, da participação do economista na cerimônia de recriação da Sudene, fundada por Celso Furtado no governo do presidente Juscelino Kubitschek. "Mesmo debilitado fisicamente, comemorou sua fé no nordeste e no Brasil", declarou Lula, ao falar sobre a solenidade realizada no ano passado, em Fortaleza."Sua obra e suas idéias, desde os anos 50, representam um marco do pensamento econômico e social, transformando-o em um dos homens mais importantes do século XX. Seu reconhecimento internacional e seus livros traduzidos para diversas línguas atestam seu destaque. É impossível debater o desenvolvimento sem passar por seus textos e idéias. Intelectual rigoroso era, ao mesmo tempo, homem de ação e de Estado. Participou de diferentes governos e foi o grande responsável pela construção da Sudene", disse Lula.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.