Lula diz que pedido de processo de impeachment foi acatado 'por vingança' de Cunha

Ex-presidente fez a declaração na abertura da Conferência Internacional do Congresso do Partido Social-Democrata Alemão (SPD), em Berlim; segundo ele, impedimento de Dilma é 'tentativa de golpe explícito'

Daniel Galvão, O Estado de S.Paulo

09 de dezembro de 2015 | 16h52

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou nesta quarta-feira, 9, em Berlim, que o pedido de processo de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff foi acatado "por vingança" do presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ).

Lula fez a declaração na abertura da Conferência Internacional do Congresso do Partido Social-Democrata Alemão (SPD), de acordo com o Instituto Lula. Ele foi o convidado de honra para a palestra "Política progressista em tempos desafiadores". Estavam presentes mais de 300 delegados de legendas "progressistas" de 40 países. O ex-presidente foi apresentado pelo presidente do Parlamento Europeu, Martin Schulz, como um "convidado extraordinário", segundo o Instituto Lula.

Lula afirmou que o pedido de impeachment é "uma tentativa de golpe explícito contra a presidente Dilma e o Brasil". O ex-presidente sugeriu também às siglas social-democratas do mundo procurar uma "nova utopia" visando a esperança da juventude mundial.

O ex-presidente criticou a falta de instituições globais e os conflitos que causam massas de refugiados. "Eu quero saber que instituição autorizou a Guerra do Iraque? O ataque à Líbia, quando o país não era uma ameaça para ninguém? Quem se responsabiliza?", questionou

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.