Lula diz que outras mudanças dependem de reforma política

A reforma política é "imprescindível"para que o país possa promover as demais reformas necessárias,como a previdenciária e a tributária, afirmou o presidente LuizInácio Lula da Silva nesta terça-feira. "A minha tese é que, sem a reforma política, as outrassempre ficam mais difíceis", disse Lula em discurso durantereunião do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social noPalácio do Planalto. Fazem parte do chamado "conselhão" 13 ministros e 90líderes da sociedade civil. Seus integrantes sugerem ações parao governo, que pode acatar ou não. Lula defendeu o financiamento público de campanha e anecessidade de discutir questões como a duração dos mandatos. Sobre a reforma tributária, frisou que as mudanças nãopoderão ser centradas apenas nas desonerações de impostos."Temo que a conta não feche", disse o presidente, acrescentandoque, como no balanço de uma empresa, as contas do governoprecisam se equilibrar. Apesar da ressalva, o presidente disse acreditar que jáforam criadas as condições para a elaboração de uma reforma queseja "se não a perfeita, aquela que é mais adequada para omomento que estamos vivendo." Grupo de trabalho do conselhão responsável por discutir areforma tributária apresentou um relatório durante a reuniãopropondo, entre outros pontos, a fixação de um limite formalpara o crescimento da carga tributária e a desoneração da folhade pagamento. O ministro da Fazenda, Guido Mantega, que participou dareunião, disse considerar "artificial" o estabelecimento delimites à carga. "É uma regra ruim, é artificial em um momentoem que o país está se formalizando. O importante é reduzir ostributos, e vamos continuar fazendo isso", disse Mantega ajornalistas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.