Lula diz que o importante é o Senado voltar a funcionar

Antes de reunião na Suécia, presidente afirma que a Casa quem criou o 'problema' e agora encerrou a questão

Lisandra Paraguassu, do Estadão

13 de setembro de 2007 | 07h17

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse nesta quinta-feira, 13, em Copenhague, na Dinamarca, que o importante, depois da absolvição do presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL) é que a Casa volte a funcionar com normalidade, para votar projetos de interesse do País. "Temos a CPMF, temos a reforma tributária, temos coisas de interesse do brasileiro. É isso que conta na realidade", disse o presidente, ao chegar para o primeiro compromisso em Copenhague, com empresários dinamarqueses.   Veja também: Especial: veja como foi a sessão que livrou Renan da cassação  Cronologia do caso  Entenda os processos contra Renan  'Absolvição macula política brasileira', diz especialista  Galeria de imagens: confusão, soco e discussões 'Ganho, e ganho bem', disse Renan confiante antes da votação Confusão, soco e discussões marcam 'julgamento'   Blog do Piza: Indecorosa absolvição   'Calvário não é só de Renan, é do Senado' PT nega articulação para absolver Renan 'Vou para a igreja rezar', diz Renan após absolvição Deputados e senadores trocam socos antes de sessão Ouça áudio do tumulto no Senado  Fórum: dê a sua opinião sobre a decisão do Senado Enquete: você concorda com a absolvição de Renan?   Para o presidente, a absolvição de Renan foi uma decisão do Senado e deve ser acatada. "Primeiro é preciso que a gente tenha clareza para tratar o assunto com a seriedade que ele merece. O problema começou no Senado e terminou no Senado, se é que terminou. Eu disse desde o começo da crise que era um problema do Senado. O Senado levantou o problema, fez o que tinha que fazer. Chegou o momento em que tinha que terminar. Poderia ter sido uma maioria contra o Renan, teve uma maioria favorável a Renan. Eu acho que nós precisamos nos habituar a acatar o resultado das instituições a que nós nos submetemos. Eu não posso admitir que eu só posso acatar o resultado quando ele favorece aquilo que eu pensava. Houve uma votação pelas regras do Senado, ela aconteceu e o Renan foi absolvido. Se vai haver continuidade no processo, se vai haver a suprema corte, são outros problemas. Eu acho que o Senado levantou o problema e o Senado resolveu o problema, ontem", concluiu.     O presidente participa da abertura do Seminário Empresarial Brasil-Dinamarca, visita a mostra de fotografias de Sebastião Salgado, se encontrará com a comunidade brasileira, terá encontro reservado com o primeiro-ministro dinamarquês, Anders Fogh Rasmussen, e dará uma declaração conjunta à imprensa, seguida de assinatura de atos. Ainda nesta quinta-feira, Lula embarcará para Oslo, na Noruega, onde concluirá seus cinco dias de viagem a países escandinavos.

Mais conteúdo sobre:
RenanLula

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.