Lula diz que não irá opinar sobre fim da reeleição

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou, mais uma vez, que não irá opinar o projeto de fim da reeleição. "Não me peçam opinião que eu não vou dar. Esse é um problema dos partidos políticos, é um problema do Congresso Nacional", disse, durante o programa semanal de rádio Café com o Presidente. Lula disse acreditar que a reeleição tem que estar ligada à reforma político-partidária. "Todo mundo sabe o que eu pensava em 2006. Eu sempre fui contra a reeleição. Acontece que tem o instituto da reeleição, e eu sou um presidente reeleito, portanto, eu não posso agora dar palpite na reforma política no que diz respeito à reeleição", lembrou.O presidente disse também que, como não irá disputar as próximas eleições, tem "apenas que deixar o Brasil em 2010 infinitamente melhor" do que o Brasil que recebeu.Lula também voltou a dizer que pretende se aproximar da oposição. Lula disse que "conversar com a oposição é dar exemplos de uma pátria civilizada" e que "não pode ficar apenas governando com os seus, sem lembrar que é sempre importante a gente ouvir aqueles que pensam diferentemente de nós".O presidente mencionou a conversa que teve com o presidente do PSDB, Tasso Jereissati. "Veja, não havia por que não conversar com o Tasso Jereissati, de quem eu sempre tive uma boa relação, que ficou truncada no primeiro mandato. Coube a mim, como presidente da República, chamar o Tasso para uma conversa", disse."Quando eu converso com o Tasso, converso com o senador Antônio Carlos Magalhães (DEM), eu converso com eles sabendo que eles são oposição, sabendo o que eles pensam, sabendo qual é a definição do partido deles, que pode ter candidato em 2010. Mas eu não tenho que pensar em eleição em 2010. Eu tenho que pensar em cuidar deste País como se estivesse cuidando do meu filho", concluiu.Este texto foi alterado às 10h49.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.