Lula diz que mudou critérios de privatizações do País

Segundo o presidente, leilão de rodovias federais mostrou que é possível pedágios mais baratos

15 Outubro 2007 | 07h52

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva enalteceu, nesta segunda-feira, 15, o leilão que, na semana passada, privatizou sete trechos de rodovias federais. Segundo Lula, o governo mudou os "critérios de privatizações" e conseguiu um preço "bem mais baixo para os pedágios", a cada 100 quilômetros, "em comparação ao leilão feito no passado (em 1995, no governo FHC)". "As empresas chegaram a fazer deságio de até 65%", disse Lula, em seu programa de rádio semanal, Café com o Presidente.   Veja também: Lula faz críticas às privatizações de governos anteriores Custo do pedágio põe rodovias paulistas em xeque   Lula garantiu que a diferença entre o valor pago pelas empresas e o valor estabelecido não será repassada ao motorista via pedágio. "Num trecho da Régis Bittencourt, nós colocamos como preço mínimo R$ 2,68 e foi leiloado por R$1,35. Na Fernão Dias, que nós colocamos um preço mínimo de R$ 2,88, foi leiloado por R$ 0,99. E no trecho Curitiba-Florianópolis, nós colocamos um preço de R$ 2,75 e foi leiloado por R$ 1,028".   "O grande ganhador é o motorista que vai pagar o pedágio, porque ele vai perceber que não é possível, na Dutra, ele pagar R$ 7, e na Fernão Dias, ele pagar R$ 0,99", disse.   Ainda segundo o presidente, o fato de seis dos sete trechos leiloados estarem em mãos de empresas espanholas demonstra confiança do investidor estrangeiro no Brasil. E mais um vez, Lula fez um apelo para que os brasileiros tenham esperança no País: "se a gente não acreditar no Brasil, o Brasil pode não dar certo, porque ninguém dá certo com descrença".      

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.