Lula diz que ministros são ´heróis´ por receberem R$ 7 mil

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva empossou nesta sexta-feira, 16, os ministros Tarso Genro, da Justiça, José Gomes Temporão, da Saúde, e Geddel Vieira Lima, da Integração Nacional. Em um discurso descontraído, Lula definiu os antigos e os novos titulares de sua equipe como "verdadeiros heróis" por receberem um "baixo" salário de R$ 7 mil."O salário é baixo", disse Lula a uma platéia lotada de ministros e políticos. "A máquina pública, ela é dotada de verdadeiros heróis. Por que na iniciativa privada eles podem ganhar bem e aqui não?", questionou o presidente, sob aplausos.Durante a cerimônia, Lula não deixou também de comentar sobre seu próprio salário. "Eu sou o único que não posso reclamar do meu salário, porque não tem nenhum torneiro mecânico no mundo ganhando 8 mil reais", continuou o presidente, arrancando risos da platéia.Além de ter elogiado os ministros que deixam o governo, Lula cobrou responsabilidade por parte dos recém-chegados. "Aos que entram, se pensam que é moleza ser ministro, vocês vão ver", afirmou o presidente. A cerimônia desta sexta-feira foi realizada no salão oeste do Palácio do Planalto, em Brasília.´Pepino´ Ao empossar Temporão, Lula ressaltou que o novo ministro havia sido recomendado diversas vezes por colegas. "Todos os ministros que passaram pela Saúde falavam: o Temporão é um quadro extraordinário", disse o presidente. "Se na teoria você parecia tudo isso, vamos dar o pepino da Saúde para você."Lula ressaltou também que a nomeação de Geddel para o Ministério da Integração Nacional representava a consolidação da coalizão política. O presidente disse que o novo ministro herdará do antigo titular, Pedro Brito, o "legado que foi a construção da política hídrica colocada no Programa de Aceleração do Crescimento". "Se conseguirmos colocar em prática as propostas do PAC, acho que o sertão vai virar mar", concluiu Lula.´Cabeça equilibrada´Lula avaliou que a saída de ministros como Bastos de sua equipe não vai piorar a máquina do governo. O presidente comparou sua equipe a um bom time de futebol. "Você troca um bom por outro bom", disse. "É como um time de futebol, no tempo do Garrincha e do Didi, ou do Flamengo de Zico e Nunes."O presidente rasgou elogios a Bastos que, segundo ele, foi uma "cabeça equilibrada" do governo nos últimos quatro anos. Lula lembrou que o "companheiro" advogava gratuitamente na época do sindicalismo e da repressão. E em tom de brincadeira, disse que, ao deixar o governo, vai precisar do trabalho de Bastos."O Brasil é grato por um dia você ter aceito ser ministro da Justiça e certamente vai continuar sendo meu advogado, pois quem assume um município, um Estado, uma presidência, depois que a gente deixa o mandato, os processos continuam contra a gente", afirmou Lula, ressaltando que Bastos "cansou de ser ministros, mas não cansou da vida."Apesar de as posses já terem sido realizadas, as nomeações dos novos ministros não foram publicadas na edição desta manhã do Diário Oficial da União. A Casa Civil da Presidência da República e a Secretaria de Imprensa informaram que ainda nesta sexta-feira será publicada uma edição extra do veículo.Este texto foi alterado às 12h30 para acréscimo de informações

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.