Lula diz que manterá ritmo de viagens

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva informou ao PT que manterá seu ritmo de viagens "para mostrar que continua governando". No domingo, o Estado informou que, desde a virada do ano, Lula percorreu, apenas em deslocamentos pelo País, o equivalente a cerca de uma volta e meio ao redor do planeta.Em campanha antecipada e não declarada pela reeleição, o presidente tem participado de inaugurações de todo tipo Brasil afora. A partir de 6 de julho, quando começará oficialmente a campanha eleitoral, ele pretende concentrar nos fins de semana as atividades típicas de caça ao voto, como comícios.Com isso, uma preocupação tomou conta do PT. A legislação diz que o candidato à reeleição não precisa deixar o cargo durante a campanha, mas cabe ao partido bancar os gastos com avião, combustível, pessoal, refeições e hospedagem - e o PT teme não ter dinheiro para fazer o ressarcimento.O receio levou pelo menos um antigo auxiliar de Lula a desistir de deixar o governo para se dedicar exclusivamente à campanha. Trata-se de Marco Aurélio Garcia, assessor especial do Planalto para assuntos internacionais, que deverá ser o coordenador do programa de governo da reeleição.GravaçãoLula gravou, nesta segunda-feira, sua participação no programa televisivo do PT que vai ao ar na quinta-feira. Curioso é que, em vez de a equipe técnica se deslocar até o Palácio da Alvorada, no qual mora o presidente, Lula é que foi até onde os técnicos estavam: o hotel Blue Tree, a cerca de 500 metros. Era lá que o PT realizava seus encontros nos tempos em que o tesoureiro do partido era Delúbio Soares.A iniciativa de Lula pode ser atribuída à preocupação de não usar a residência oficial do presidente da República para um gesto de natureza exclusivamente partidária, o que talvez fosse interpretado como uma agressão às normas impostas pela Justiça Eleitoral. A justificativa formal, porém, foi outra. "Era mais prático fazer a montagem de equipamentos no hotel", disse o presidente do PT, deputado Ricardo Berzoini (SP).Em sua participação no programa do PT, o presidente aparecerá falando sobre juventude e educação. Dirá que seu governo criou o ProUni, projeto que oferece para alunos pobres 500 mil bolsas de estudo em universidades particulares. E fará propaganda da retomada da construção de dezenas de escolas técnicas pelo País.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.