Lula diz que 'jamais' tentará impedir investigações

Presidente defende órgãos fiscalizadores do governo ao comentar atuação de imprensa em casos de corrupção

LEONENCIO NOSSA E FELIPE RECONDO, Agencia Estado

22 de julho de 2009 | 12h46

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse em discurso, na cerimônia de posse do novo procurador-geral da República, Roberto Gurgel, que nunca fez pedidos pessoais aos procuradores e que, nesse um ano e meio para o fim de seu mandato, "jamais" tentará impedir uma investigação. "Eu não tenho dúvida que neste um ano e meio que vamos ter pela frente jamais farei um pedido, um alfinete para impedir qualquer investigação", afirmou. Lula fez questão de ressaltar que os três procuradores que indicou, nesses dois mandatos na Presidência, foram por escolha da própria categoria. "Isso foi por garantia minha. Se amanhã alguém disser que o procurador não é bom, a culpa é da categoria", disse o presidente, arrancando risos da plateia.

Ao comentar a atuação da imprensa nos casos de desvio de dinheiro público e corrupção, Lula defendeu os órgãos fiscalizadores do seu governo. "Vira e mexe a gente tem de explicar para a imprensa porque tem aumentado o número de casos de corrupção. Corrupção aparece quando você combate", afirmou. Ele condenou, mais uma vez, o que chamou de "show de pirotecnia" em que pessoas estariam sendo condenadas antes da apuração das denúncias e do julgamento.

Tudo o que sabemos sobre:
Lulainvestigaçõesprocuradores

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.