Lula diz que fará caravana do PAC e nega privilegiar petistas

Presidente defende inaguração de obras e nega priorizar visitas a cidades governadas por prefeitos do PT

Gustavo Porto, de O Estado de S.Paulo

14 de março de 2008 | 14h18

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse nesta sexta-feira, 14, que ficará menos tempo em Brasília neste primeiro semestre e mais tempo viajando pelo Brasil para anúncios de início de obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). "Quanto mais obras nós inauguramos, mais ordens de serviços fazemos e é mais emprego, salário e renda", disse o presidente.   Veja também:   ESPECIAL: o balanço do PAC  Marta acerta saída para se candidatar  Lula critica os que consideram Bolsa-Família 'assistencialista'  Consumo não pode crescer acima da produção, diz Lula  'Bancos tinham desaprendido a atender pobres', diz Lula Se meu filho se candidatar, não farei campanha, diz Lula       Lula negou que irá priorizar visitas a cidades governadas por prefeitos do PT, como nesta manhã em Araraquara, município que é comandado por Edinho Silva, presidente estadual do partido em São Paulo. "Como o PT tem mais prefeitos do que outras cidades, justamente vou a mais cidades do que com prefeitos de outros partidos." Um exemplo disso é uma visita que fará a São Paulo na próxima semana, onde irá anunciar um pacote de obras no município. "Lá o prefeito é dos Demos e quem vai estar comigo no palanque é o prefeito."   O presidente disse também que o País não pode parar por causa das eleições. "Se eu pensasse em eleições, eu não teria feito um acordo com o governador de São Paulo, José Serra, no valor de R$ 8 bilhões, e outro acordo de R$ 4 bilhões com o governador de Minas gerais, Aécio Neves."

Tudo o que sabemos sobre:
Eleições 2008LulaPAC

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.