Lula diz que combate à inflação requer 'medidas globais'

Para presidente, uma das maiores razões para aumento de preços é o acesso da população pobre à alimentação

Reuters,

19 de julho de 2008 | 18h08

O presidente brasileiro, Luiz Inácio Lula da Silva, disse neste sábado, 19, que o aumento da inflação devido à alta nos preços dos alimentos e matérias-primas requer medidas globais, e pediu explicações de organizações multilaterais para o assunto.  Veja também:De olho na inflação, preço por preçoEntenda os principais índices de inflação  Entenda a crise dos alimentos   No entanto, Lula admitiu que uma das maiores razões para a pressão inflacionária é o maior acesso dos pobres à alimentação e revelou que o Brasil está adotando medidas para aumentar a produção agrícola.  "Quando a inflação é mundial não tem uma solução caseira, quando a inflação é de "commodities" não tem uma solução nacional, é necessário encontrar medidas globais para resolver um problema global", disse Lula em uma reunião com empresários durante sua visita à Colômbia.  Os preços altos têm levado alguns países a elevar significativamente as taxas de juros e a rever seus dispositivos contra a inflação, o que em alguns casos coloca em risco a sustentabilidade do crescimento da economia."O povo está consumindo mais leite, mais arroz, mais carne", afirmou Lula. O presidente também pediu para os organismos multilaterais prestarem contas sobre a escalada do preço do petróleo, que recentemente chegou ao recorde de mais de US$ 147 por barril. Lula também criticou as potências mundiais por criarem problemas financeiros que acabam bloqueando a possibilidade de crescimento das nações da região, "porque alguns bancos ou alguns países decidiram fazer de sua economia um verdadeiro cassino", como foi o caso dos empréstimos de alto risco nos Estados Unidos, segundo Lula.

Tudo o que sabemos sobre:
LulaInflaçãoAlimentos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.