EVARISTO SÁ/AFP
EVARISTO SÁ/AFP

Lula diz que Brasil tornou-se credor de subdesenvolvidos

Presidente afirma que País deixou de ser um receptor de recursos e passou contribuir com nações mais pobres

Leonêncio Nossa, da Agência Estado,

09 de setembro de 2009 | 15h06

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse nesta quarta-feira, 9, que o Brasil deixou de ser um país receptor para se tornar doador de recursos a nações em desenvolvimento. Lula disse isso em encontro com Mauricio Funes, presidente de El Salvador, que veio ao Brasil requisitar um empréstimo de R$ 800 milhões ao BNDES para investir no transporte urbano de seu país.

 

Lula observou que países como China e Espanha investem bilhões de dólares na África. "A gente não tem essa cultura e acha que os outros é que têm de dar dinheiro para nós", afirmou o presidente. Na avaliação de Lula, o Brasil já dispõe de um parque industrial e detém tecnologia em diversos setores, capazes de contribuir para o desenvolvimento de países da África e da América Latina. "A palavra hegemonia não pode existir entre nós. A palavra correta é parceria", afirmou.

 

Lula fez elogios à trajetória política de Mauricio Funes, lembrando que conheceu o presidente de El Salvador antes que ele assumisse o governo daquele país. Lula ainda criticou a deposição do presidente de Honduras, Manuel Zelaya. "O golpe de Estado em Honduras é um retrocesso inaceitável. Devemos repudiá-lo incondicionalmente", disse. "Não reconheceremos eleições conduzidas pela força do atraso e do autoritarismo."

 

O presidente também destacou o momento econômico que o Brasil atravessa e chegou a brincar com o ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, presente no almoço. Lula referiu-se ao ministro como o "novo Sheik do Brasil", numa referência à exploração do petróleo na camada pré-sal.

Tudo o que sabemos sobre:
diplomaciaLula

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.