Lula diz que Brasil está pronto para fazer concessões na OMC

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou hoje que o Brasil está pronto para fazer concessões importantes nas negociações da rodada multilateral da Organização Mundial do Comércio (OMC). Em entrevista pouco antes de encerrar sua visita ao Reino Unido, Lula salientou que tais concessões, referentes às áreas de serviços e bens industriais, estão condicionadas a uma abertura dos mercados agrícolas em países ricos. "O Brasil está disposto a fazer as concessões necessárias, de acordo com suas necessidades e proporcionais ao seu poderio econômico", disse Lula. "O Brasil sabe que tem que fazer concessões."O presidente, no entanto, não quis dar mais detalhes sobre quais seriam essas concessões: "O que vamos fazer, e quando vamos fazer, é segredo de Estado que os nossos negociadores conhecem". Lula disse ter deixado o almoço que teve hoje com o primeiro-ministro britânico Tony Blair otimista com as perspectivas de que o impasse nas negociações da OMC sejam superados.O presidente aproveitou a ocasião para comentar também o café da manhã que teve com empresários e investidores britânicos no Palácio de Buckingham. Ele disse ter se sentido gratificado ao ver a disposição dos participantes em relação ao Brasil. "Ouvi muita gente falando com muito carinho do Brasil, mostrando interesse em investir no País", afirmou o presidente, reiterando que o Brasil está com as bases macroeconômicas consolidadas para receber tais investimentos. Além disso, voltou a defender a necessidade de países investirem em energias não poluentes e alternativas, capazes de gerar empregos e desenvolvimento nos países mais pobres.Na entrevista, concedida no aeroporto de Heathrow, Lula evitou falar sobre reeleição e sobre verticalização. Além disso, não quis comentar a situação do comandante do Exército, general Francisco Albuquerque, que na semana passada fez um avião da TAM retornar ao terminal do aeroporto para que ele e sua mulher pudessem embarcar. Lula, que retorna ao Brasil e desembarca na noite de hoje em Recife, disse que responderá na ocasião questões internas do País. Ele aproveitou para dizer que a viagem a Recife tem significado especial, pois representa um cumprimento de uma promessa de campanha. Na ocasião, Lula irá visitar uma favela que foi recuperada pelo governo federal. "Volto com a sensação do dever cumprido", disse Lula.Na entrevista, o presidente Lula voltou a elogiar o jogador Ronaldo, do Real Madri, comentando que ficou preocupado ao ver manifestações pouco agradáveis, mas democráticas, feitas pela torcida do time espanhol contra o "menino de 29 anos". O presidente ofereceu sua solidariedade ao jogador, lembrando que ninguém é o melhor do mundo por acaso e que depende do próprio Ronaldo fazer com que esta seja a Copa do Mundo dele, assim como a Copa de 70 no México foi considerada a copa de Pelé. Lula também disse ter escrito ao presidente da Fifa manifestando sua preocupação com manifestações racistas em torcidas de futebol. "A Fifa não pode brincar com essas coisas, tem de ameaçar com punições drásticas. Não podemos ser pegos de surpresa com atitudes racistas e preconceituosas."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.