Lula diz que antecessores "desmontaram a máquina pública"

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva criticou hoje, na solenidade de entrega do prêmio de gestão pública, no Palácio do Planalto, os antecessores que nos últimos 14 anos "desmontaram a máquina pública". "É preciso que comecemos a desmontar o aparelho de desmonte que tinha sido implantado neste País nos últimos 13 ou 14 anos", disse.O presidente lembrou o período da campanha eleitoral de 1989, quando Fernando Collor de Mello, seu adversário na disputa, prometeu acabar com os marajás. "Eu lembro o quanto a máquina pública e os servidores foram massacrados por conta de uma frase de efeito numa campanha eleitoral", afirmou. Ele disse que durante muito tempo as pessoas tomaram como base o salário mínimo para dizer que quem ganhava um "pouquinho mais" era um super marajá. "Por conta disso, o Estado que investiu muito dinheiro em quadros de extraordinária competência profissional, logo em seguida perdeu esses quadros para a iniciativa privada porque não pagava o salário condizente", disse.Lula afirmou que o seu governo abriu o maior número de concursos dos últimos 9 anos para preencher 24.808 vagas. Na avaliação do presidente, a melhoria dos indicadores econômicos e sociais depende da valorização do servidor público e da melhoria do serviço oferecido pelos órgãos de governo. "Como avançar na retomada do crescimento econômico com inclusão social sem contar com um Estado capaz de cumprir seu papel neste processo?", disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.