Paulo Fonseca/EFE
Paulo Fonseca/EFE

Lula diz que acusação de venda de MP é 'excrescência' e chama delegados de analfabetos políticos

Ex-presidente criticou decisão que o coloca como réu em ação na Operação Zelotes

Ricardo Galhardo, O Estado de S.Paulo

21 Setembro 2017 | 14h47

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse nesta quinta-feira que a aceitação da denúncia contra ele e o ex-ministro Gilberto Carvalho por corrupção passiva acusados de vender uma Medida Provisória é a “excrescência, da excrescência da excrescência” e chamou os delegados da Polícia Federal de analfabetos políticos.

“Essa da Medida Provisória é a excrescência da excrescência da excrescência”, disse Lula, na manhã desta quinta-feira, durante evento de lançamento da plataforma colaborativa “O Brasil que queremos”, da Fundação Perseu Abramo, em um hotel no centro de São Paulo.

Na terça-feira o juiz Valisney de Oliveira, da 10 Vara Federal em Brasília, tornou Lula, Carvalho e outras cinco pessoas réus pela suposta venda da MP 471 que, em 2009, prorrogou incentivos fiscais para a indústria automotiva nas regiões Nordeste, Norte e Centro-Oste.

Pouco antes da fala do presidente o vereador Eduardo Suplicy fez uma defesa enfática de Lula e Carvalho. "Como eles podem ser acusados de vender uma MP editada pelo Fernando Henrique Cardoso e relatada pelo José Carlos Aleluia, do DEM?", questionou Suplicy.

Lula, condenado a nove anos e seis meses por corrupção passiva e lavagem de dinheiro no caso do tríplex do Guarujá, é réu em outros seis processos.

O ex-presidente disse ter se queixado com o diretor da Polícia Federal, Leandor Daielo, sobre a má formação política dos delegados da corporação.

“ Fui prestar depoimento para o delegado e depois que acabou a conversa estava o José Eduardo Cardozo, que era ministro da Justiça, estava o diretor da Polícia Federal e eu disse: acho que vocês estão com um problema, vocês precisam dar uma formação política para estes delegados, porque são verdadeiros analfabetos políticos, são, não conhecem nada do processo político e é preciso cuidar disso porque vocês têm jovens bem intencionados, às vezes bem formados, que o pai financiou dois anos em casa só estudando para fazer um concurso, fez um concurso e pronto, virou o julgador do mundo”, disse o ex-presidente.

De acordo com Lula, falta “grandeza” a seus acusadores pasra admitir que estão errados. “Eles conseguem jogar lama nas pessoas e depois não conseguem pedir desculpas porqwue pedir desculpas é uma palavra grande. Só pede desculpa e reconhece o erro que tem grandeza e não é todo mundo que tem grandeza”, afirmou. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.