Lula diz estar disposto a fazer acordo sobre MPs

Na Holanda, presidente ressalta, no entanto, que é preciso consenso para que alguns temas sejam votados

TÂNIA MONTEIRO, ENVIADA ESPECIAL,, Agencia Estado

11 de abril de 2008 | 11h02

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse que está disposto a negociar com o Congresso Nacional a edição de  medidas provisórias. "Estou disposto a fazer o acordo necessário para o bom funcionamento da Câmara e do Senado", disse o presidente nesta sexta-feira, 11,  em Haia, na Holanda. Ele ressaltou, no entanto, que é preciso chegar a um consenso, porque algumas questões precisam ser definidas por medida provisória, como a contratação de professores para novas universidades. Veja também:   ESPECIAL: Veja quantas MPs cada presidente editouCom relação a oposição, o presidente Lula disse que ela pode fazer o que bem entender, desde que não atrapalhe ou impeça que o Brasil dê certo. "A oposição tem que não atravancar ou atrapalhar o desenvolvimento do País, tentando obstruir as votações no Congresso. Essa é uma forma de fazer política de partido que não tem nenhuma experiência. Mas partido que já foi governo oito anos ou já governou desde que Cabral descobriu o Brasil não pode agir como estudantes torcendo para que as coisas não dêem certo", disse. O presidente disse que continuará viajando pelo País, apesar das críticas da oposição, que acusa o presidente de estar fazendo campanha eleitoral. "Vou continuar viajando o Brasil para ver as obras do PAC acontecendo. A oposição não tem que se incomodar comigo." O presidente falou ainda sobre a Reserva Raposa do Sul, em Roraima, afirmando que o governo não quer usar a violência para a retirada dos arrozeiros. "Não queremos que ninguém seja vítima de ação do governo, mas tem algum arrozeiro criando caso", afirmou. "Não vamos fazer vítimas", disse.

Tudo o que sabemos sobre:
Medidas Provisórias

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.