Lula discute caso Dantas em reunião no Planalto nesta segunda

Após tour pela Ásia, presidente será informado dos detalhes da Operação Satiagraha, que prendeu o banqueiro

Agência Estado,

14 de julho de 2008 | 08h56

Após giro pela Ásia, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva retorna ao Brasil nesta segunda-feira, 14, e só agora será realmente informado dos detalhes da Operação Satiagraha, da Polícia Federal (PF), que envolveu o nome do seu chefe de gabinete, Gilberto Carvalho. O caso será analisado por Lula em reunião da coordenação política, marcada para esta tarde no Palácio do Planalto. Ao todo, a operação prendeu 24 pessoas, entre elas o sócio-fundador do banco Opportunity, Daniel Dantas, o investidor Naji Nahas e o ex-prefeito Celso Pitta. No entanto, os três conseguiram habeas-corpus e atualmente encontram-se em liberdade.   Veja também:Daniel Dantas espionou juízes paulistas, afirma PFApós habeas-corpus, Daniel Dantas deixa prisão em São Paulo Opine sobre nova decisão que dá liberdade a Dantas Entenda como funcionava o esquema criminoso Veja as principais operações da PF desde 2003 Entenda o nome da Operação Satiagraha, que prendeu Dantas    Lula, a exemplo do ministro da Justiça, Tarso Genro, festejou a operação, mas com a ressalva de que não se pode condenar ou absolver ninguém previamente.Do outro lado da Esplanada dos Ministérios, o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Gilmar Mendes, alvo de críticas de juízes e procuradores por ter mandado tirar os presos da cadeia, terá que administrar as divergências no Judiciário. No domingo, no Rio de Janeiro, ele evitou o assunto, mas mantém a posição de que agiu na preservação dos direitos de justiça ao conceder, por duas vezes, habeas-corpus a Daniel Dantas, contrariando o juiz federal do caso, em São Paulo, Fausto Martins de Sanctis. O Planalto estará atento também à crise que se instalou na Polícia Federal (PF) e o envolvimento da Agência Brasileira de Inteligência (Abin) na operação. Braço Político O caso também chega à CPI dos Grampos na Câmara, que na terça-feira vota requerimentos de convocação de Daniel Dantas, do investidor Naji Nahas, do ex-ministro Luiz Gushiken. A Comissão também deve votar a convocação do ex-deputado petista Luiz Eduardo Greenhalgh, que é citado no relatório da operação por ter solicitado a Gilberto Carvalho que checasse no Gabinete de Segurança Institucional (GSI) se havia alguma investigação envolvendo Humberto Braz - homem da confiança do banqueiro Daniel Dantas.  Carvalho nega qualquer participação no esquema de Dantas e afirma que sua atitude foi motivada pela informação de que Braz estava sendo perseguido por "gente da Presidência". O Planalto não aprova o comportamento de Greenhalgh, que não deve contar com a ajuda do governo para se desvencilhar da trama em que foi envolvido.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.