Lula, Dilma e Serra se encontrarão em navio

Presidenciáveis do PSDB e PT ficarão juntos por 14 horas, em visita a poço do pré-sal de Tupi

João Domingos, O Estadao de S.Paulo

20 de abril de 2009 | 00h00

Por iniciativa do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, a ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, e o governador de São Paulo, José Serra (PSDB), passarão 14 horas juntos, dentro de um navio, da noite do dia 30 até a manhã do dia 1º de maio. Na viagem, os dois prováveis principais candidatos à sucessão presidencial em 2010 terão todo o tempo do mundo para conversar sobre as intenções político-eleitorais e até mesmo fazer críticas aos companheiros - Serra tem a competição do governador de Minas, Aécio Neves, dentro do PSDB; Dilma reclama da passividade do PT.A viagem será feita no navio Comandante Maximiano - homenagem ao ex-ministro da Marinha Maximiano da Fonseca - por 160 milhas Atlântico a dentro, até o Poço de Tupi. No local, Lula vai acionar as máquinas para dar início à extração, ainda em fase de experiência, do petróleo do pré-sal dessa área. O presidente chamou também os governadores do Rio, Sérgio Cabral, e do Espírito Santo, Paulo Hartung, ambos do PMDB, os dois com reais condições de saírem candidatos a vice numa chapa encabeçada pela ministra Dilma. Lula prefere Cabral, se houver uma aliança entre o PMDB e o PT.Depois da cerimônia de início da extração do óleo do pré-sal, Lula, Dilma, Serra, os demais governadores e os ministros convidados serão resgatados por helicóptero - transporte que o presidente já admitiu temer. "Entro neles porque não há outro jeito, mas não sei como é que um bicho daqueles voa", declarou o presidente Lula, no final do ano passado, em conversa com jornalistas durante um café da manhã.A viagem de navio até Tupi, porém, não se deve apenas ao medo que Lula tem de helicópteros. Desde o ano passado a Marinha tem pressionado o presidente a aceitar um convite para uma viagem mais longa em um de seus navios.Com a descoberta das reservas do pré-sal e o início das atividades de extração de óleo em áreas muito profundas, surgiu a oportunidade de o presidente passar mais de meio dia dentro de um dos equipamentos da Marinha brasileira.RELATOTrês dias depois, Lula vai descrever no programa de rádio Café com o presidente como foi a experiência de viajar 14 horas de navio, de chegar à área do pré-sal e das perspectivas futuras, uma vez que a partir daí a Petrobrás estará pronta para iniciar as atividades de extração do óleo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.