Lula deve visitar Israel e palestinos no fim do ano, diz Amorim

Ao fim de viagem, ministro vê 'crescente' envolvimento do Brasil no Oriente Médio.

Guila Flint, BBC

14 de fevereiro de 2008 | 14h50

O ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim, afirmou nesta quinta-feira, em Tel Aviv, que existe a possibilidade de uma visita do presidente Lula a Israel e aos territórios palestinos no final de 2008, quando está planejada uma nova cúpula entre os países árabes e da América do Sul.A cúpula será realizada no Catar, e Lula deverá aproveitar a oportunidade para visitar outros países do Oriente Médio, entre eles a Arábia Saudita, onde a visita do presidente brasileiro já está confirmada.O ministro Amorim encerrou nesta quinta-feira um giro pelo Oriente Médio, que incluiu Arábia Saudita, Síria, Jordânia, os territórios palestinos e Israel.Depois de se encontrar com os principais líderes da região, Amorim manifestou um "otimismo moderado" quanto ao processo de paz e apontou um aquecimento significativo nas relações do Brasil "com o conjunto da região".Janela de necessidadeDe acordo com Amorim, "agora existe não só uma janela de oportunidade como também uma janela de necessidade para avançar com o processo de paz"."É necessário avançar agora e aproveitar o engajamento do presidente Bush e da comunidade internacional no processo de paz", disse o ministro. "Seria uma lástima perder esta oportunidade, pois quando se interrompe um processo desse tipo, se leva muito tempo para poder recomeçar.""Tenho a convicção de que, de fato, todos estão interessados em avançar e não vejo os principais envolvidos desenvolvendo atividades de obstrução ou de desvio das questões principais, acrescentou.Depois de conversar com um dos principais negociadores palestinos, Saib Arikat, e com o primeiro-ministro de Israel, Ehud Olmert, Amorim disse sentir que "há uma boa dinâmica, apesar da consciência da dificuldade dos problemas"."Ouvi tanto do lado da Palestina como da parte de Israel o mesmo comentário, sobre o bom contato que existe entre os principais líderes", contou o ministro.BrasilAmorim citou a participação do Brasil na Conferência de Paz em Annapolis, nos Estados Unidos, e da Conferência dos Países Doadores à Autoridade Palestina, em Paris, para apontar um crescente envolvimento do país no Oriente Médio."O Brasil doou US$ 10 milhões, que já estão disponíveis, para desenvolver projetos, principalmente nas áreas da educação e da saúde, que tenham um impacto mais direto para a população palestina", afirmou."Não somos um país rico, mas nossa contribuição é equivalente à da Russia, e é a maior entre os paises em desenvolvimento."Durante sua visita, Amorim também assinou, com a ministra do Exterior israelense Tzipi Livni, um protocolo executivo para um acordo cultural entre o Brasil e Israel, que determina um intercâmbio entre os dois países. Israel e o Brasil deverão colaborar em todos os setores artísticos e culturais, inclusive festivais de cinema, exposições de artes plásticas, dança, música e literatura. "Estamos muito interessados em enfatizar, cada vez mais, o aspecto da aproximação e da cooperação com todos os países desta região, que é fundamental para a paz mundial", disse o chanceler brasileiro."O Oriente Médio e a América do Sul são duas grandes regiões de países em desenvolvimento e temos interesse em desenvolver a cooperação em todas as áreas", acrescentou."Se fala muito da aliança entre civilizações, a atuação do Brasil no Oriente Médio é um exemplo concreto desta visão", concluiu o ministro.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.