Lula deve retirar MP que cria Ministério da Pesca

Múcio vai procurar Chinaglia e admite que texto pode virar projeto de lei

Vera Rosa, O Estadao de S.Paulo

12 de agosto de 2008 | 00h00

O governo pretende retirar a medida provisória que transforma a Secretaria da Pesca em ministério e enviar em seu lugar um projeto de lei ao Congresso, com o objetivo de facilitar a aprovação do texto. Motivo: o presidente da Câmara, Arlindo Chinaglia (PT-SP), fez ruidosas críticas à MP e avisou o Palácio do Planalto que a proposta pode ser derrubada.Articulador político do governo, o ministro das Relações Institucionais, José Múcio Monteiro, vai procurar hoje Chinaglia para tentar um entendimento sobre o assunto."O que o governo quer é a votação, é o produto final", argumentou Múcio. "É melhor uma medida provisória com embate ou um projeto de lei aprovado? Vou conversar com o presidente da Câmara e o que for confortável para ele nós faremos." Em várias reuniões com líderes dos partidos, Chinaglia considerou a MP da Pesca um "acinte" e um "achincalhe". Ele chegou a afirmar que não via explicação alguma para o presidente Luiz Inácio Lula da Silva enviar uma medida provisória sobre o tema somente agora, no segundo mandato."Como, depois de quase seis anos, cria-se um Ministério da Pesca por medida provisória?", questionou o presidente da Câmara. "A urgência fica difícil de ser defendida." INCÊNDIOO tema ocupou boa parte da reunião de ontem de Lula com os ministros que compõem a coordenação política do governo. A avaliação é de que as relações do Palácio do Planalto com a Câmara estão tensas e, portanto, é preciso agir rápido para apagar o incêndio. "Vamos resolver os mal-entendidos e pôr os pingos nos ?is?", afirmou Múcio.Criada com o intuito de incentivar a produção pesqueira do País, a Secretaria Especial de Aqüicultura e Pesca, recém-convertida em ministério, vai beneficiar os integrantes dos partidos aliados, que poderão indicar apadrinhados políticos: serão 150 cargos em comissão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.