Lula deve indicar Lobão na 4ª para Ministério de Minas e Energia

PMDB vai esperar a nomeação do senador para depois negociar novos cargos do setor com o governo

14 Janeiro 2008 | 11h53

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva vai convidar o senador Edison Lobão (PMDB-MA) na quarta-feira, 16, para assumir o cargo de ministro das Minas e Energia. O convite será feito após Lula voltar da viagem a Cuba, na terça-feira, 15, e o filho do senador, Edison Lobão Filho (DEM-MA) deve assumir o cargo no Senado.   O ministério ficou vago em maio, depois que o então ministro Silas Rondeau foi afastado por suspeitas de seu envolvimento com o esquema de superfaturamento em obras públicas comandado pela construtora Gautama, descoberto pela Operação Navalha da Polícia Federal (PF).   Tanto Rondeau como Lobão são afilhados do senador José Sarney (PMDB-AP). Homem forte no governo, em nenhum momento Sarney concordou em abrir mão do ministério. O PMDB conseguiu a nomeação de Lobão para o ministério, mas não terá autonomia em nomear afilhados políticos na direção das principais e cobiçadas estatais do setor de energia.   A entrega da pasta no sistema "porteira fechada", com todos os cargos distribuídos ao partido, foi vetado pela chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, que defendeu a ocupação das funções estratégicas por técnicos ligados ao PT - e a ela, principalmente.   Negociações   O PMDB não abdicou de emplacar afilhados políticos na direção das estatais subordinadas ao Ministério de Minas e Energia. Mas, com a nomeação de Lobão, o partido resolveu dar uma trégua à ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, que vetou a entrega da pasta ao PMDB no sistema de "porteira fechada", com todos os cargos das estatais distribuídos a filiados da legenda.   "Não haverá litígio entre Minas e Energia e a ministra Dilma Rousseff. Os dois estão no mesmo governo", disse no domingo o presidente do PMDB, deputado Michel Temer (SP). "A partir da designação do ministro, vão se iniciar as conversações sobre os cargos nas estatais. O partido não tem pretensão de assumir o comando de todas as diretorias de estatais", disse o senador Valter Pereira (PMDB-MS). "Primeiro, a indicação do ministro. Depois veremos o que vem", observou o ministro das Relações Institucionais, José Múcio Monteiro (PTB-PE).   Após emplacar Lobão, o senador José Sarney (PMDB-MA) quer indicar Astrogildo Quental para a presidência da Eletrobrás. Já o deputado Jader Barbalho (PMDB-PA) quer pôr Lívio Rodrigues no comando da Eletronorte, enquanto Romero Jucá (PMDB-RR) pleiteia a Eletrosul para o ex-governador de Santa Catarina Paulo Afonso Vieira.   (Colaborou Eugênia Lopes, de O Estado de S. Paulo.)

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.