Lula descarta hipótese de afastar Dilma para tratar da saúde

Ministra é a candidata do presidente para 2010; ela foi internada no hospital Sírio-Libanês com dores nas pernas

AE, Agencia Estado

22 Maio 2009 | 10h00

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva rejeitou a hipótese de a ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, ser afastada do cargo por causa do tratamento contra o câncer linfático ao qual ela se submete. "Falei com ela ontem (quarta-feira) e ela está bem e tranquila", disse Lula, que hoje encerra sua viagem pela Turquia. "Na doença, quando a gente fica em casa, a gente fica mais doente. A gente tem de espantar qualquer doença. E, nesse negócio, mulher é especialista. Qualquer homem, quando tem uma gripezinha, já quer ficar deitado, com preguiça. Você nunca viu uma mulher deixar de trabalhar ou cuidar de filho por causa de gripe."

Dilma deixou o hospital Sírio-Libanês na quarta-feira, após se recuperar de dores nas pernas. Para Lula, a ministra deve continuar trabalhando. "Obviamente, não sou médico. Mas acredito que, quanto mais trabalhar, melhor é para a saúde. A não ser que a pessoa não possa trabalhar", disse o presidente. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Mais conteúdo sobre:
Dilma saúde Lula

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.