Lula descarta 3º mandato e diz que prioridade é crescimento

Presidente volta a alertar para os riscos de se alterar as regras democráticas na América Latina

REUTERS

29 Outubro 2007 | 15h24

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva descartou a possibilidade de um terceiro mandato e reiterou sua posição favorável a um período maior para presidente da República, sem reeleição. Lula considerou o assunto extemporâneo e fora da agenda política do País no momento, apesar das articulações de deputados da base governista para tentar aprovar medidas que podem levar a um terceiro mandato.   Veja Também: 'Discussão sobre 3º mandato não tem cabimento', diz Tarso   CPMF não tem plano B, diz Lula sobre prorrogação Aécio ironiza proposta de 3º mandato para Lula em 2010 "A prioridade agora não é o terceiro mandato. A prioridade é consolidar o crescimento do Brasil internamente e no mundo; consolidar o Brasil como grande nação", disse Lula a jornalistas, em Salvador, onde inaugurou um centro tecnológico vinculado ao Senai. Lula se disse surpreso ao ser indagado sobre o tema do terceiro mandato e alertou para os riscos de se alterar as regras democráticas na América Latina. "Democracia é bom demais e a gente não pode brincar com a democracia nos países da América Latina", disse Lula, referindo-se a experiências vividas na região que acabaram em regimes autoritários. Para Lula, que já foi reeleito, se o Congresso quiser fazer uma reforma política, "todo mundo conhece minha tese" favorável a "mandato maior que quatro anos, sem reeleição." "Eu agora estou quase proibido de tocar nesse assunto, porque não vou dar palpite no mandato do meu sucessor", comentou.  Ainda assim, ele lembrou que é defensor da tese de que o País deveria adotar um mandato presidencial superior a quatro anos sem reeleição.   Aécio ironiza   O governador de Minas, Aécio Neves (PSDB), disse que o PSDB não pode entrar numa terceira "aventura" eleitoral em 2010 e ironizou os petistas que querem um terceiro mandato consecutivo para o presidente Lula. Em entrevista na Suíça, onde, nesta terça-feira, participa na sede da Fifa da festa de anúncio do país-sede da Copa do Mundo de 2014, Aécio disse que a novidade do próximo pleito presidencial é a ausência de Lula nas cédulas.   (Com Clarissa Oliveira, do Estadão)

Mais conteúdo sobre:
POLITICA LULA MANDATO

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.