Lula desabafa e diz que passou quatro anos de solidão

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva aproveitou o café-da-manhã com os jornalistas nesta sexta-feira no Planalto para fazer um desabafo: "Muitas vezes tenho sofrido uma solidão terrível em Brasília. Ficamos só eu e a Marisa. Tenho passado quatro anos de solidão". Ele contou que nunca sai do Palácio depois do trabalho. "Não tenho ido a aniversário de amigo, casamento, jantar ou almoço. Só dá futrica." Disse que poderia chamar um ministro para jantar mas não faz isso para não causar ciúmes nos outros. Para controlar a solidão, contou que vai a cada quinze dias para São Bernardo do Campo onde se encontra com os filhos e netos. Ele evitou chamar Brasília de chata. "Chato sou eu". Lula explicou que não vai a restaurantes, cinemas ou teatro para evitar problemas com a segurança, e explicou que para a ir a algum lugar público, os seguranças têm que entrar na cozinha ou no camarim, "invadindo a casa dos outros". Além das viagens a São Bernardo, contou que outra alternativa para driblar a solidão é pescar no criatório dentro do Palácio da Alvorada. Ele falou que soube de ex-presidentes que saíam de moto ou de fusca durante a noite, driblando a segurança. O presidente disse que quer tirar 9 dias de folga, depois da posse, em 1º de janeiro. Segundo ele, a folga deve ser entre os dias 2 a 10 de janeiro, quando ele pretende viajar para a Nicarágua, para a posse de Daniel Ortega. Manifestou também o desejo de ir a Cuba, visitar Fidel Castro. Ele disse, no entanto, que essa programação ainda precisa ser negociada em casa. O presidente não quis dizer para onde pretende ir na folga, para não ser incomodado pelos jornalistas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.