Ricardo Stuckert/Instituto Lula
Ricardo Stuckert/Instituto Lula

Lula deixa Sírio-Libanês para descansar, diz assessoria

Ex-presidente volta ao hospital na manhã desta sexta-feira; Marisa Letícia não apresenta mais atividade cerebral

O Estado de S.Paulo

03 de fevereiro de 2017 | 02h36

SÃO PAULO - O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva retornou para o apartamento dele em São Bernardo do Campo no início da madrugada desta sexta-feira, 3, de acordo com a assessoria de imprensa do petista. Ele vai descansar e retorna ao Hospital Sírio-Libanês pela manhã.

A mulher de Lula, Marisa Letícia, não apresenta mais atividade cerebral. Ela tem 66 anos e está internada desde 24 de janeiro na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Sírio-Libanês. O quadro da ex-primeira-dama indica morte cerebral.

Conforme boletim médico divulgado na manhã desta quinta-feira, 2, já foram iniciados os procedimentos para doação de órgãos com a autorização da família.

Segundo médicos do Hospital Sírio-Libanês, o coração da ex-primeira-dama continuava batendo em ritmo estável até o início da noite de quinta-feira, apesar de os aparelhos que auxiliam as atividades vitais terem sido desligados.

Homenagens. O Hospital Sírio-Libanês se transformou nesta quinta-feira em local de peregrinação de políticos. Na fila, antigos adversários de Lula, como o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, que foi ao hospital acompanhado do ex-ministro da Justiça José Gregori.

Conforme pessoas que estavam na UTI, o encontro foi “muito afetuoso”. Lula e FHC trocaram diversos abraços e depois conversaram a sós em uma sala reservada.

O presidente Michel Temer também esteve no hospital na noite desta quinta-feira para prestar solidariedade a Lula.

Temer chegou em um furgão, acompanhado de comitiva que incluía o ex-presidente José Sarney, os ministros das Relações Exteriores, José Serra, e da Fazenda, Henrique Meirelles, o chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, o novo presidente do Congresso, senador Eunício Oliveira (PMDB-CE), e o ex-presidente do Senado e novo líder do PMDB na Casa, Renan Calheiros (AL). O grupo foi hostilizado por militantes petistas na porta do hospital.

A ex-presidente Dilma Rousseff deve chegar na manhã de sexta-feira a São Paulo. Ela antecipou o retorno ao Brasil de uma viagem à Europa. Ela tem falado com Lula diariamente desde que Marisa Letícia foi internada.

Notícias relacionadas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.