Lula deixa para o último dia de seu mandato decisão sobre Cesare Battisti

Na quarta-feira, Lula afirmou que o Brasil não temia represália da Itália caso o Brasil decidisse pela concessão do asilo político ao italiano

30 Dezembro 2010 | 20h28

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva deixou para a sexta-feira, 31, o último dia do seu mandato, a decisão sobre a extradição do ex-ativista italiano Cesare Battisti. Na quarta-feira, 29, durante evento na Bahia, Lula disse que a decisão seria anunciada nesta quinta, 30.

 

Na ocasião, Lula afirmou que o Brasil não temia represália da Itália caso o Brasil decidisse pela concessão do asilo político ao italiano. "O Brasil é soberano. não temo represália da Itália. Quem vai fazer represália ao Brasil?. Não existe represália. Cada um [país] faz o que quiser, e sempre respeitaremos uma decisão soberana de outro país", afirmou Lula após evento de entrega de casas do programa Minha Casa, Minha Vida, em Salvador.

 

O Supremo Tribunal Federal (STF) autorizou a extradição de Battisti, que responde a vários processos na Itália e está preso no Brasil, mas deixou a decisão para o presidente da República. Acusado de quatro homicídios, Battisti foi condenado à prisão perpétua na Itália.

Mais conteúdo sobre:
Lula Cesare Battisti Itália

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.