Lula defende reforma política como medida anti-corrupção

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva defendeu hoje a reforma política ao comentar a crise no Senado, após discurso de lançamento de conjunto de obras na região portuária do Rio de Janeiro. "Se não houver reforma política e a estrutura partidária continuar como está, será muito difícil evitar que essas coisas aconteçam", declarou o presidente. Lula se referia a recentes denúncias sobre atos secretos no Senado, usados para beneficiar parlamentares.

FELIPE WERNECK, Agencia Estado

23 de junho de 2009 | 13h03

No entanto, Lula afirmou que existem "coisas mais importantes" a serem discutidas no País. Para ele, quando o Senado tem um problema, ele deve ser resolvido pela própria Casa. O presidente também afirmou que o povo tem a chance de mudar a situação a cada quatro anos e lembrou que em 2010 haverá eleição. "Se tem problema, só tem uma solução: é consertar o problema. Se não tiver problema, tem que mostrar que não tem. Mas não vamos fazer disso uma causa nacional porque temos coisas mais importantes para discutir no Brasil."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.