Lula defende punição de envolvidos em desvios no BNDES

Presidente também prestou solidariedade aos funcionários do banco; Paulinho da Força está entre os envolvidos

Adriana Chiarini, da Agência Estado,

26 de maio de 2008 | 12h22

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva prestou solidariedade aos funcionários do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e defendeu punição dos envolvidos em esquema de desvio de dinheiro do banco estatal nesta segunda-feira, 26, no início de seu discurso no XX Fórum Nacional, que acontece na sede do banco estatal. A Polícia Federal investiga desvios de recursos na chamada Operação Santa Tereza, que aponta o deputado federal Paulo Pereira da Silva (PDT-SP), o Paulinho da Força, como um dos envolvidos nas fraudes.   Veja também:  PF inclui Paulinho em organização criminosa  Veja quem são os suspeitos na Operação Santa Tereza   Veja o relatório da PF que liga Paulinho a contrato suspeito   Ouça grampos da PF que citam Paulinho    PSOL vai pedir cassação de Paulinho da Força   "É bem possível que em uma instituição do tamanho do BNDES tenha uma ou outra pessoa que tenha desvios e que obviamente tem que pagar pelo desvio que possa ter cometido. Mas também é verdade que poucos países no mundo tem uma instituição tão sólida quanto o BNDES", disse o presidente. De acordo com ele, "o BNDES deve ser orgulho para todos nós brasileiros".   O desvio de recursos envolvia repasse de verbas a prefeituras. Para a PF, Paulinho teria recebido cheque de R$ 18.397,50 relativo ao primeiro desembolso do banco para a Prefeitura de Praia Grande (SP) e outra ordem de pagamento de R$ 82.162,93, referente a empréstimo às Lojas Marisa. O organograma da PF aponta que há quatro mentores para o suposto esquema. Um deles é o lobista, assessor e amigo de Paulinho João Pedro de Moura, o que envolveria diretamente o deputado e justificaria a inclusão do nome do parlamentar no documento.  O PSOL informou que vai pedir ao Conselho de Ética da Câmara a cassação do mandato de Paulinho por quebra de decoro parlamentar por suposto envolvimento no esquema de desvio.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.